VENDE-SE UMA CHÁCARA (Petrolândia - PE)

VENDE-SE UMA CHÁCARA (Petrolândia - PE)
CLICK NA IMAGEM E VEJA TODOS OS DETALHES


AGÊNCIA ATIVOS

Farmácia Esperança - BNE (Petrolândia - PE)

Farmácia Esperança - BNE (Petrolândia - PE)

ELETROLÉO

ELETROLÉO

Aurinézio

Aurinézio

CLICK NA IMAGEM E VEJA DETALHES

domingo, 1 de maio de 2022

Bolsonaro ignora orientação de aliados e participa de ato contra STF

O presidente chegou ao local por volta das 11h30 e cumprimentou apoiadores.

© Getty Images

MARIANNA HOLANDA, BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi neste domingo (01.05) a ato em Brasília com ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) e em desagravo ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ). A manifestação estava esvaziada. O presidente chegou ao local por volta das 11h30 e cumprimentou apoiadores.

"[Vim] cumprimentar o pessoal que está aqui na manifestação pacífica em defesa da Constituição, da democracia, e da liberdade. Então parabéns a todos de Brasília, bem como todos brasileiros que hoje estarão nas ruas", disse em live aberta em suas redes sociais.

O presidente não fez discurso no ato em Brasília. A previsão é que participe, por vídeo, da manifestação prevista para esta tarde em São Paulo.

Aliados do presidente defendiam que ele não participasse dos atos em desagravo ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) neste domingo, por temor de discursos radicalizados que possam acentuar a crise entre os Poderes.

Já integrantes do Legislativo e do Judiciário, com ou sem a presença do chefe do Executivo, temiam que as manifestações possam reeditar os atos de raiz golpista de 7 de Setembro do ano passado.

Os discursos nos carros de som na Esplanada criticaram o STF, em especial o ministro Alexandre de Moraes, relator dos inquéritos que tem Bolsonaro e seus aliados como alvo.

Em um dos trios elétricos, havia uma faixa estendida pedindo a criminalização do comunismo e a destituição dos 11 ministros do Supremo.


Apesar de o foco dos atos ter sido atacar o Judiciário, muitos discursos também tinham a esquerda e Lula como alvo, e ressaltavam a chamada pauta de costumes, como aborto.

O ato começou por volta das 10h. Organizadores pediram a pastores e padres que se aproximassem e subissem no carro para puxar rezas. Após o Pai Nosso, um pastor discursou contra o aborto e pregou que a autoridade de Deus é maior que a de qualquer juiz.

Apoiadores do presidente organizaram neste domingo, em desagravo ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), em ao menos quatro capitais, além de Brasília: Salvador (BA), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP). O ato na capital foi antecedido por uma motociata, da qual Bolsonaro não participou.

Um dia antes, Bolsonaro usou um evento oficial em Uberaba (MG) para convocar seus aliados a participarem dos atos convocados para este domingo, 1º de Maio.

Em recado direto ao STF, o presidente disse: "[Aqueles] que, porventura, irão às ruas amanhã, não para protestar, mas para dizer que o Brasil está no caminho certo. Que o Brasil quer que todos joguem dentro das quatro linhas da Constituição. E dizer que não abrimos mão da nossa liberdade."

"Amanhã [domingo] não será dia de protestos. Será dia de união do nosso povo para um futuro cada vez melhor pra todos nós", completou, na Expozebu, maior evento da pecuária no país. O evento consta da agenda oficial do presidente e teve transmissão ao vivo pela TV Brasil, do governo federal.

POR FOLHAPRESS
via Notícias ao Minuto, 01.05.2022

Nenhum comentário:

Postar um comentário