Pesquisar este blog

CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL

CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL
CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL

AGÊNCIA ATIVOS

LOJA FRANCKELETRO

LOJA FRANCKELETRO

MIL GRAUS 1000°, sua loja Moda Praia em Petrolândia, no sertão de Pernambuco

MIL GRAUS 1000°, sua loja Moda Praia em Petrolândia, no sertão de Pernambuco
CLICK NA IMAGEM E TENHA ACESSO AOS DETALHES A LOJA

Aurinézio

Aurinézio

RC SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

FARMÁCIA ESPERANÇA

FARMÁCIA ESPERANÇA

ELETROLÉO

ELETROLÉO

quarta-feira, 28 de abril de 2021

57% desaprovam e 35% aprovam governo Bolsonaro; taxas ficam estáveis

Números variam na margem de erro
Trabalho “ruim” ou “péssimo”: 51%
Apoio ao presidente segue em 1/3
Leia levantamento do PoderData

Sérgio Lima/Poder360 - 8.abr.2021
Bolsonaro em cerimônia no Planalto, no início de abril. Popularidade do governo se estabilizou, depois de meses de queda, mostra PoderData

Pesquisa PoderData realizada de 2ª a 4ª feira desta semana (26-28.abr.2021) indica estabilidade nas taxas de aprovação e desaprovação ao governo Jair Bolsonaro. A atual gestão federal é reprovada por 57% dos brasileiros e aprovada por 35%, níveis semelhantes aos dos levantamentos anteriores.

Os números variaram dentro da margem de erro do estudo, que é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O levantamento teve 2.500 entrevistas em 482 municípios nas 27 unidades da Federação.

O resultado desta rodada do PoderData indica que o governo interrompeu a deterioração de sua avaliação, iniciada em meados de março, quando a pandemia de coronavírus atingiu um novo pico de mortes. De lá para cá, o número diário de vítimas de covid-19 cresceu, mas o presidente conseguiu estancar a queda nos níveis de aprovação.

Como se verá a seguir, tanto o governo quanto o trabalho pessoal de Jair Bolsonaro seguem com apoio de cerca de 1/3 do eleitorado –mesmo com a atual crise sanitária não tendo sido debelada nem havendo sinais de quando a maioria da população estará vacinada.


Esta pesquisa foi realizada no período de 26 a 28 de abril de 2021 pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.



Foram 2.500 entrevistas em 482 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Nos últimos dias, o presidente tem acenado a seus apoiadores mais fiéis. Criticou governadores, ministros do STF, além de retomar o discurso de sexualização de crianças nos governos PT. No programa de Sikêra Jr., na última 6ª feira (23.abr), disse ter plano para colocar o Exército nas ruas para “restabelecer todo o artigo 5º da Constituição”.

Também nesse período, o Senado articulava os primeiros passos para instalação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, instalada na 3ª feira, que investigará a conduta do governo durante a pandemia e o uso de recursos da União transferidos para Estados e municípios. Ex-ministros devem ser convocados para depor sobre a crise. O governo estará muito na mídia, e a oposição terá prato cheio para desgastar a imagem de Bolsonaro e testar a resiliência do seu núcleo de apoio.

DESEMPENHO PESSOAL

O PoderData também pergunta o que os entrevistados acham do trabalho pessoal do presidente: bom/ótimo, regular ou ruim/péssimo.

Os resultados desta rodada indicam um leve recuo na rejeição (51%) a Bolsonaro, no limite da margem de erro do estudo –de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Outros 26% aprovam, e 19% acham o presidente regular. As duas taxas ficaram estáveis em relação a duas semanas antes.


Os que consideravam Bolsonaro ruim ou péssimo no meio de abril (12-14) eram 55%. Considerando-se a margem de erro, estariam na faixa de 57% a 53%. Nesta rodada, estão em 51%, podendo ser de até 53% ou até 49%.

DESTAQUES DEMOGRÁFICOS: AVALIAÇÃO DO GOVERNO

Os homens (40% desse estrato), os que têm de 45 a 59 anos (42%), os moradores da região Sul (54%) e os que ganham mais de 10 salários mínimos (44%) são os que mais aprovam o governo.

Os que mais desaprovam são os que têm de 16 a 24 anos (67%), os com ensino superior (66%), moradores da região Nordeste (74%) e os que ganham de 2 a 5 salários mínimos (62%).

Leia a estratificação completa no infográfico abaixo:


DESTAQUES DEMOGRÁFICOS: AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE BOLSONARO

Eis os recortes por sexo, idade, região, nível de instrução e renda da pergunta sobre o desempenho pessoal do presidente:


OS 19% QUE ACHAM BOLSONARO “REGULAR”

No Brasil, pergunta-se aos eleitores como avaliam o trabalho do governante. As respostas podem ser: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo. Quem considera a atuação “regular” é uma incógnita.

Para entender qual é a real opinião dessas pessoas, o PoderData faz um cruzamento das respostas desse grupo com os que aprovam ou desaprovam o governo como um todo.

Os resultados mostram que 44% desse grupo dizem aprovar o governo quando dadas apenas duas opções. Os que desaprovam são 33%.


Há 15 dias, 51% desse grupo (que considera Bolsonaro regular) diziam aprovar o governo e 33%, desaprovar. Esse estrato tende a ficar em modo de “observação” e se move de um lado para o outro à medida que a polarização se intensifica.



PODERDATA

O conteúdo do PoderData pode ser lido nas redes sociais, onde são compartilhados os infográficos e as notícias. Siga os perfis da divisão de pesquisas do Poder360 no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.

PESQUISAS MAIS FREQUENTES

O PoderData é a única empresa de pesquisas no Brasil que vai a campo a cada 15 dias desde abril de 2020. Tem coletado um minucioso acervo de dados sobre como o brasileiro está reagindo à pandemia de coronavírus.

Num ambiente em que a política vive em tempo real por causa da força da internet e das redes sociais, a conjuntura muda com muita velocidade. No passado, na era analógica, já era recomendado fazer pesquisas com frequência para analisar a aprovação ou desaprovação de algum governo. Agora, no século 21, passou a ser vital a repetição regular de estudos de opinião.



Fonte: Poder 360
Por RAFAEL BARBOSA
Blog SNP, 28/04/2021



Nenhum comentário:

Postar um comentário