CLICK NA IMAGEM

CLICK NA IMAGEM
ACESSE .... CONTRIBUA... COMPARTILHE

PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

AURINÉZIO CONSTRUÇÕES

AURINÉZIO CONSTRUÇÕES
BAIRRO NOVA ESPERANÇA, Avenida Padre Cícero, nº 90

segunda-feira, 13 de maio de 2019

LULA: EU NÃO VOU MORRER ANTES DE PROVAR QUE MORO É MENTIROSO


Em entrevista que Lula concedeu ao jornalista Kennedy Alencar no último dia 3 de maio, o ex-presidente Lula condenou todo o esquema jurídico-midiático arquitetado pela Operação Lava Jato, que culminou em sua prisão política. "Eu não vou morrer antes de provar que Moro é mentiroso", salientou. 

Lula afirmou que o processo tinha que cair na mão do Moro, "porque quem fez o pacto com a imprensa". "Kennedy, é importante lembrar que o Moro visitou a redação de todos os jornais, de todas as revistas, de todos os canais de televisão. O Moro não precisava ser juiz. Se ele fosse repórter, já valia a condenação, porque a imprensa recebia as acusações antes dos advogados", expôs.

Ele ainda ressaltou que "hoje, no Brasil, você é condenado pela manchete do jornal, você não é condenado pelo processo"

"Eu duvido que você encontre na sentença do Moro uma afirmação de que tem dinheiro da Petrobras. Eu duvido que você encontre uma afirmação de que o apartamento é meu. Por que você acha que eu fico bravo? É porque eu não vou morrer antes de provar que o Moro é mentiroso, não vou morrer antes de provar que o Dallagnol é mentiroso, não vou morrer antes de provar que o inquérito contra mim é mentiroso, que a juíza que deu a sentença mentiu a meu respeito, que o TRF-4 [Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre] mentiu a meu respeito", acrescentou o ex-presidente. 

"Por que você acha que eu estou aqui? Por que você acha que eu digo que não troco a minha dignidade pela minha liberdade? De vez em quando, as pessoas falam: "Mas agora foi julgado lá, tem a tal da detração, você já pode sair". Obviamente, quando os meus advogados disserem:"Lula, você pode sair", eu vou sair. Só sairei daqui se qualquer coisa que tiver que se tomar uma decisão não me impedir de continuar brigando pela minha inocência", disse ele. 


Por 247
13 de maio de 2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário