VENDE-SE UMA CHÁCARA (Petrolândia - PE)

VENDE-SE UMA CHÁCARA (Petrolândia - PE)
CLICK NA IMAGEM E VEJA TODOS OS DETALHES


AGÊNCIA ATIVOS

Farmácia Esperança - BNE (Petrolândia - PE)

Farmácia Esperança - BNE (Petrolândia - PE)

ELETROLÉO

ELETROLÉO

Aurinézio

Aurinézio

CLICK NA IMAGEM E VEJA DETALHES

quinta-feira, 9 de junho de 2022

TJSP nega direitos de Roberto Carlos e Erasmo sobre 27 músicas da dupla; veja lista

Entre as músicas que estão envolvidas na ação judicial estão sucessos da dupla, como "Quero que vá tudo pro inferno" e "Parei na contramão"

Roberto Carlos, cantor e compositor - Foto: Levi Bianco\Brazil Photo Press\Folhapress

A dupla Roberto Carlos e Erasmo Carlos perdeu uma ação na 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, que negou o direito de rescindir um contrato de cessão dos direitos de 27 músicas da dupla com uma gravadora, com a qual eles tiveram vínculo entre os anos 60 e 80.

Por conta disso, decisão aponta que, “com o negócio celebrado, a Editora passou a ser a titular dos trabalhos”.

Segundo o veredicto, “a natureza do contrato deve ser vista primordialmente através do seu conteúdo, de acordo com o constante em suas cláusulas”, diferente da interpretação dos cantores, que alegaram ter havido “prestação de serviço voltado a explorar comercialmente as composições musicais”, o que os permitiria manter os direitos autorais.

“Não se trata de uma contratação ‘perpétua’, conforme expressão utilizada pelos recorrentes, e sim justamente de efeito permanente do contrato ante o seu objeto nos termos da legislação pertinente, pelo qual é feita uma cessão dos direitos do autor, com troca de titularidade, o que pode ser dito como uma venda dos direitos do autor”, diz trecho da decisão.

Entre as músicas que estão envolvidas na ação judicial estão sucessos da dupla, como “Quero que vá tudo pro inferno” e “Parei na contramão”. Segundo o relator do processo, o desembargador Álvaro Passos, “há a expressa colocação das condições de transferência dos direitos da obra autoral ‘em todos os seus aspectos, manifestações e aplicações, diretas ou indiretas, processos de reprodução e divulgação ou extensões e ampliações’”.

“As autorizações que foram solicitadas aos autores para uso das obras com terceiros não retiram a sua natureza e o objeto do contrato, não se entrevendo as erguidas contratações de simples edição e de prestação de serviço”, diz outro trecho da decisão.

Veja abaixo lista de músicas que estão envolvidas no julgamento:

  • “Acho que me apaixonei”
  • “Alguém da vida da gente”
  • “Beijo quente”
  • “Brotinho enamorado”
  • “Brotinho transviado”
  • “Broto do jacaré”
  • “Cara de pau”
  • “Dê o fora”
  • “Duas bonequinhas”
  • “É preciso ser assim”
  • “Enforcadinho por brigitte”
  • “Jacaré”
  • “Mamãe acha que é normal”
  • “Matando a miséria a pau”
  • “Mexerico da candinha”
  • “Minha fama de mau”
  • “Namorado bobinho”
  • “Não quero ver você triste”
  • “Menino e a rosa”
  • “Parei na contramão”
  • “Quero que vá tudo pro inferno”
  • “Surpresa de domingo”
  • “Tema de não quero ver você triste”
  • “Terror dos namorados”
  • “Toque balanço, moço”
  • “Vi meu bem com outro rapaz”
  • “Você zangada é feia”
Por Agência O GloboVia Folha de Pernambuco, 09/06/22 


Nenhum comentário:

Postar um comentário