VENDE-SE UMA CHÁCARA (Petrolândia - PE)

VENDE-SE UMA CHÁCARA (Petrolândia - PE)
CLICK NA IMAGEM E VEJA TODOS OS DETALHES

MARCAÇÕES DE CONSULTAS E EXAMES EM PETROLÂNDIA - PE: Na Secretaria Municipal de Saúde

ELETROLÉO

ELETROLÉO

Farmácia Esperança - BNE (Petrolândia - PE)

Farmácia Esperança - BNE (Petrolândia - PE)

Aurinézio

Aurinézio

CLICK NA IMAGEM E VEJA DETALHES

domingo, 12 de dezembro de 2021

Bolsonaro recomenda compartilhamento de fake news contra Moro, Deltan e Alvaro Dias

Em vídeo, youtuber reforça narrativa bolsopetista de que o ex-juiz federal do Paraná protegeu o senador, que só pode ser investigado pelo Supremo

Redação O Antagonista
Blog SNP, 12.12.2021

Foto: Reprodução/ Twitter

Jair Bolsonaro aproveita o domingo para pedir a milhares de seguidores que compartilhem o vídeo de um youtuber bolsonarista repleto de fake news e informações distorcidas contra Sergio Moro, Deltan Dallagnol e Alvaro Dias.

“Este vídeo documentado, feito pelo Kim Paim, você tem que assistir e tem que repassar para você entender de vez o que eu passo, a minha função e o que querem para o nosso Brasil. É simplesmente imperdível este vídeo. Por favor, assistam!”

Kim reforça a narrativa bolsopetista de que Sergio Moro protegeu Alvaro Dias na Lava Jato, o que seria juridicamente impossível, uma vez que o senador tem foro privilegiado e só poderia ser  investigado pelo Supremo, a pedido da PGR.

Uma das bandeiras de Moro e do próprio Dias, aliás, é o fim do foro privilegiado, que tem permitido ao Supremo engavetar inquéritos importantes contra poderosos aliados de Bolsonaro, como Ciro Nogueira e Arthur Lira.

O youtuber, que mora no exterior, também resgata uma velha denúncia de que Dias teria usado horas de voo cedidas por Youssef em uma de suas campanhas na década de 1990. O caso também nunca foi adiante, pois não foram encontradas irregularidades, uma vez que os gastos com a empresa de táxi aéreo foi declarada à Justiça Eleitoral.

No vídeo, Kim também manipula informações sobre o apoio da Lava Jato a nomes da lista tríplice para a PGR, lançando mão de mensagens roubadas dos celulares dos procuradores e retiradas do contexto das conversas.  

O youtuber citado pelo presidente da República, que surgiu na esteira do bolsonarismo, vem a ser filho de um ex-superintendente da Polícia Rodoviária do petista Jaques Wagner.



Nenhum comentário:

Postar um comentário