Pesquisar este blog

CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL

CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL
CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL

MIL GRAUS 1000°, sua loja Moda Praia em Petrolândia, no sertão de Pernambuco

MIL GRAUS 1000°, sua loja Moda Praia em Petrolândia, no sertão de Pernambuco
CLICK NA IMAGEM E TENHA ACESSO AOS DETALHES A LOJA

CLICK NA IMAGEM E VEJA COMO VOCÊ PODE CONCORRER AOS SORTEIOS DE SETEMBRO

Aurinézio

Aurinézio

RC SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS

LAR & CIA

LAR & CIA
LAR & CIA + AGÊNCIA ATIVOS (Juntos para o seu bem estar) CLICK NA IMAGEM E VEJA DETALHES

AGÊNCIA ATIVOS - CLICK NA IMAGEM

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

FARMÁCIA ESPERANÇA

FARMÁCIA ESPERANÇA

ELETROLÉO

ELETROLÉO

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Bombeiros alertam contra álcool em substituição ao gás de cozinha

Com alta do botijão, famílias passaram a usar etanol em casa. Há risco de acidentes e cuidados específicos em caso de queimadura.

Famílias improvisam fogareiro com etanol para cozinhar devido à alta do preço do gás
REPRODUÇÃO RECORD TV

Com a alta do preço do botijão de gás, que ultrapassa R$ 100 em algumas localidades, as famílias de baixa renda têm recorrido a alternativas, como fogareiros improvisados ou cozinhar com lenha. Mas os bombeiros alertam para os riscos de acidentes domésticos ao manusear combustíveis líquidos, que podem gerar queimaduras e até explosões. 

"As pessoas colocam álcool, etanol, gasolina para cozinhar, pegar fogo no carvão ou lenha. Mas a volatilidade dos combustíveis é alta em temperatura ambiente. Forma uma nuvem inflamável de vapor no entorno da fogueira e, se tiver uma faísca, um cigarro e essa pessoa entra nessa nuvem, provoca uma explosão", explica o capitão e porta-voz do Corpo de Bombeiros de São Paulo, André Elias.

Foi o caso de Geisa Stefanini, de 32 anos, e do filho dela, Lucas Gabriel, de apenas 7 meses. A mulher, que passava por dificuldades financeiras, improvisou um fogareiro na casa onde morava com o bebê em Osasco, na Grande São Paulo.

A dona do imóvel, Sara Ricardo, conta o que ouviu da vítima: "Ela não tinha dinheiro para comprar o gás e essa foi a opção que ela teve para poder cozinhar. Ela pegou a latinha, foi para o posto de gasolina, comprou etanol e colocou ali. A gente não sabe direito o que aconteceu. Pelo que ela conseguiu falar, ela foi tentar por mais álcool, aí veio pra cima dela o fogo e se espalhou para o bebê também".

Geisa teve 90% do corpo queimado e morreu em 27 de setembro após ficar 25 dias internada. O filho, que estava no berço separado apenas por uma mureta do fogão, teve queimaduras em metade do corpo. Não há informações sobre o estado de saúde dele.

Segundo o capitão André Elias, não se deve utilizar combustíveis líquidos para cozinhar. "O etanol não é indicado para qualquer utilização a não ser para abastecer o tanque do carro. Ele tem alto poder inflamável e libera vapores no ambiente. Esses gases, em contato com uma fonte de calor, inflamam, o que pode causar queimaduras".

Hoje já existem substâncias próprias para acender o fogo, como o gel ou fósforos com cabos mais longos. 

Socorro às vítimas

Geisa e o bebê foram inicialmente socorridos por vizinhos. "Subi aqui correndo, ela estava em chamas, os vizinhos pegaram água da caixa d'água e jogaram nela e na criança", lembra Sara Ricardo. Na sequência, os dois foram levados pelos bombeiros a hospitais da região. 

O capitão André Elias ensina como agir em acidentes domésticos. "Se tiver queimaduras em áreas sensíveis ou em grande parte do corpo, ligar para os bombeiros o quanto antes e não usar pasta de dente no local. Deve-se jogar água corrente na ferida e tampar a superfície da queimadura com um pano limpo ou plástico para proteger de possíveis infecções", diz.

Apesar de existir a possibilidade de o pano grudar na pele, ainda assim é importante cobrir o local. A retirada da cobertura só deve ser feita pela equipe médica no hospital.

As vítimas serão levadas a hospitais de referência para queimados. Na capital paulista, a unidade especializada fica no Tatuapé, na zona leste. 

Mesmo com a percepção de aumento no número de casos dessa natureza, não há uma estatística compilada. A ocorrência é classificada pelo Corpo de Bombeiros como explosão ambiental e a causa só é investigada pelo Instituto de Criminalística após perícia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário