Pesquisar este blog

CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL

CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL
CLICK NA IMAGEM E ACESSE O NOSSO CANAL

MIL GRAUS 1000°, sua loja Moda Praia em Petrolândia, no sertão de Pernambuco

MIL GRAUS 1000°, sua loja Moda Praia em Petrolândia, no sertão de Pernambuco
CLICK NA IMAGEM E TENHA ACESSO AOS DETALHES A LOJA

CLICK NA IMAGEM E VEJA COMO VOCÊ PODE CONCORRER AOS SORTEIOS DE SETEMBRO

Aurinézio

Aurinézio

RC SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS

LAR & CIA

LAR & CIA
LAR & CIA + AGÊNCIA ATIVOS (Juntos para o seu bem estar) CLICK NA IMAGEM E VEJA DETALHES

AGÊNCIA ATIVOS - CLICK NA IMAGEM

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

FARMÁCIA ESPERANÇA

FARMÁCIA ESPERANÇA

ELETROLÉO

ELETROLÉO

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Ministério da Saúde confirmou ao Congresso a compra de Covaxin, conflitando as declarações recentes do governo federal

A informação consta na resposta do governo ao requerimento feito pelo deputado Gustavo Fruet (PDT-PR)

MARCELO QUEIROGA EM AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS. FOTO: PABLO VALADARES/CÂMARA DOS DEPUTADOS

O Ministério da Saúde confirmou ao Congresso, há cerca de um mês, que comprou 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin. A informação foi dada aos parlamentares em resposta ao requerimento feito pelo deputado federal Gustavo Fruet (PDT-PR) que solicitava uma lista de todos os imunizantes adquiridos pela pasta até aquele momento. A informação é do Estadão.

A confirmação dada ao Congresso conflita com as declarações recentes do governo federal, de que não comprou nenhuma dose da vacina Covaxin.

Nesta quarta-feira 23/06, por exemplo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga foi questionado sobre a aquisição das 20 milhões de doses ao preço de 15 dólares a unidade. O ministro negou a compra: “Eu falei em que idioma? Eu falei em português. Não foi comprada uma dose sequer da vacina Covaxin nem da Sputnik”, disse. “Futuro é futuro”.

No pedido do deputado, porém, a Covaxin entra como parte da conta oficial do governo. No documento Fruet fazia três perguntas. A primeira: Sobre o total de vacinas compradas? a segunda sobre quais eram essas vacinas? de quais laboratórios, qual o o valor pago e o prazo de entrega? Por fim, o parlamentar perguntava a fonte de todas essas informações?

Na resposta o Ministério da Saúde declarou ter comprado seis imunizantes, entre eles a Covaxin.

As outras cinco vacinas informadas pelo governo foram a Astrazeneca, Covax Facility, Coronavac, Sputnik V, Pfizer e Janssen.


CONTEÚDO RELACIONADO: Luís Miranda cobra Bolsonaro: Sempre te defendi e essa é a recompensa?



Fonte: Carta Capital
Blog SNP, 24/06/2021



Nenhum comentário:

Postar um comentário