Pesquisar este blog

CLICK NA IMAGEM E VEJA COMO VOCÊ PODE CONCORRER AOS SORTEIOS DE SETEMBRO

Aurinézio

Aurinézio

RC SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS

AGÊNCIA ATIVOS

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

VIDRAÇARIA TICO VIDROS, em Petrolândia - PE

FARMÁCIA ESPERANÇA

FARMÁCIA ESPERANÇA

ELETROLÉO

ELETROLÉO

sexta-feira, 21 de maio de 2021

Governo melhora previsão de deficit e pode desbloquear parte do Orçamento

Projeta rombo de R$ 187,7 bilhões
Pode liberar R$ 4,8 bi de recursos
Dado é da Secretaria de Fazenda

Foto: Sérgio Lima/Poder360 - 03.set.18

O governo federal melhorou a previsão do rombo das contas públicas em 2021. A expectativa é que o deficit primário fique em R$ 187,7 bilhões. Isso deve permitir o desbloqueio de R$ 4,8 bilhões dos R$ 9,3 bilhões que foram contingenciados do Orçamento de 2021.

Receitas e Despesas Primárias do 2º bimestre, publicado nesta 6ª feira (21.mai.2021) pela Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia. Eis a íntegra.

O deficit estimado de R$ 187,7 bilhões corresponde a 2,2% do PIB e está abaixo da meta de resultado primário de deficit de R$ 247,1 bilhões. O rombo é R$ 98,3 bilhões melhor que o deficit de R$ 286,0 bilhões (3,5% do PIB) projetado pelo governo no fim de abril, na sanção do Orçamento de 2021.

De acordo com a Secretaria de Fazenda, a melhora é fruto “da melhoria da receita, impulsionada pela retomada do crescimento” e reduziu para R$ 4,5 bilhões o excesso de despesas em relação ao teto de gastos. Isso abre espaço para o desbloqueio de R$ 4,8 bilhões dos R$ 9,3 bilhões que foram contingenciados do Orçamento.

No Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias do 2º bimestre, o governo melhorou de R$ 1,643 trilhão para R$ 1,752 trilhão a projeção de receita primária total. A perspectiva para a receita líquida do governo subiu de R$ 1,345 trilhão para R$ 1,433 trilhão.

A projeção para as despesas primárias caiu de R$ 1,631 trilhão para R$ 1,620 trilhão. O volume de créditos extraordinários, no entanto, subiu em R$ 11,7 bilhões e já alcança R$ 99,5 bilhões. Segundo o governo, os recursos são usados “em grande parte para combate à pandemia e os resultados econômicos dela decorrente”.


POR MARINA BARBOSA
PODER 360, 21/05/2021


Nenhum comentário:

Postar um comentário