terça-feira, 15 de maio de 2018

Morre, aos 87 anos, o escritor e jornalista Tom Wolfe

Um dos grandes nomes do movimento que injetou um estilo mais literário nos textos de jornais e revistas, ele estava internado em um hospital de NY

O jornalista e escritor americano Tom Wolfe durante sessão de fotos em sua casa em Nova York no ano de 1988 (Ulf Andersen/Getty Images)

Morreu nesta segunda-feira (15.05) aos 87, o jornalista e escritor americano Thomas Kennerly Wolfe, mais conhecido como Tom Wolfe, e também como um dos pais do new journalism, movimento que injetou um estilo mais literário nos textos de jornais e revistas. De acordo com o site do jornal The New York Times, ele estava internado em um hospital de Nova York. Segundo sua agente, Lynn Nesbit, Wolfe estava com pneumonia e foi hospitalizado por causa de uma infecção.

A cidade era o lar de Wolfe, um jornalista que liderou uma revolução entre os colegas ao tomar emprestadas técnicas da ficção para escrever, e depois se tornou um romancista best-seller, há 56 anos, desde que foi contratado pelo jornal The New York Herald Tribune. Entre os nomes que orbitaram em torno dele, na eclosão do new journalism, estão Gay Talese, Truman Capote, Joan Didion e Norman Mailer.
Nascido na Richmond (Virgínia), em 1931, e doutor em estudos americanos pela Universidade de Yale, logo iniciou a carreira de repórter. No Brasil, ele tem publicados livros como Fogueira das Vaidades e Um Homem por Inteiro, ambos pela Rocco, e Radical Chique e o Novo Jornalismo, pela Companhia das Letras.
Alguns de seus trabalhos de ficção foram adaptados para o cinema. Os Eleitos: Onde o Futuro Começa (1983), com Sam Shepard e Dennis Quaid, levou quatro Oscars.

O jornalista e escritor Tom Wolfe sentado atrás da máquina de escrever em retrato feito no ano 2000 (Deborah Feingold/Corbis/Getty Images)
O escritor e jornalista Tom Wolfe em seu apartamento no Upper East Side, Nova York em 2004 (David Corio/Redferns/Getty Images)

O escritor e jornalista Tom Wolfe fala durante o Festival Anual de Cinema FOLCS em Nova York em 2015 (Michael Nagle/Bloomberg/Getty Images)

O escritor e jornalista Tom Wolfe em seu apartamento no Upper East Side, Nova York em 2004 (David Corio/Redferns/Getty Images)

Por VEJA

Nenhum comentário:

Postar um comentário