PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

domingo, 1 de abril de 2018

Policiais são detidos após morte de 68 pessoas em presídio da Venezuela

Cinco agentes são investigados de serem responsáveis por incêndio em prisão na cidade de Valência.

Por Agencia EFE
Via: G1
31/03/2018 20h20

Enterro de detento que morreu em incêndio na prisão da polícia de Carabobo é realizado nesta sexta-feira (30) (Foto: Adriana Loureiro/Reuters)

A procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab, informou neste sábado (31) que cinco policias "indiciados por responsabilidades" na morte de 68 pessoas em um incêndio numa penitenciária do estado Carabobo, na quarta-feira (28.03), foram presos.

"Ditadas ordenes de prisão pelo Ministério Público contra cinco funcionários do PoliCarabobo investigados de serem responsáveis dos trágicos fatos que provocaram a morte de 68 cidadãos nas celas do Comando de tal Polícia regional: Já detidos #Justiça", publicou Saab no Twitter.

Segundo ele, entre os cinco está o subdiretor da Polícia de Carabobo, Jose Luis Rodríguez.

"Entre tais funcionários da Polícia de Carabobo detidos destaca-se Jose Luis Rodríguez, subdiretor de tal instituição policial; o Ministério Público garante o esclarecimento destes trágicos fatos e a punição a todos os responsáveis sem distinção", escreveu em outra mensagem.


Parentes se emocionam durante enterro de detento morto em incêndio em prisão na cidade de Valência, na Venezuela (Foto: Juan Carlos Hernandez/AFP)

Na quarta-feira passada, 68 pessoas morreram, no que Saab descreveu como "suposto incêndio" dentro de uma cela da penitenciária de Valência, capital de Carabobo. Segundo a imprensa e diversas ONG, o incêndio aconteceu durante um motim.


Saab, que foi defensor do Povo, disse pouco depois do ocorrido que as vítimas eram 66 homens e duas mulheres. As mulheres participavam de uma visita. No mesmo dia, ele anunciou a designação de quatro promotores para esclarecer os fatos.


Nesta sexta o governo venezuelano pediu ao Ministério Público (MP) uma investigação sobre o caso e anunciou a criação de "uma equipe multidisciplinar e a ativação dos protocolos necessários para a proteção integral de cada uma das famílias afetadas".

O Observatório Venezuelano de Prisões estima que o país tenha hoje 32.600 detidos em presídios, quando o espaço é para 8.500.

A notícia do incêndio e da morte das 68 pessoas chegou à Organização das Nações Unidas (ONU) que declarou estar "horrorizada" com o caso e pediu respeito às famílias das vítimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário