PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

domingo, 18 de março de 2018

A melhor professora do mundo, ganhou o Prêmio de 1 Milhão de dólares

A britânica Andria Zafirakou é a vencedora do Global Teacher Prize, espécie de Nobel da Educação. Brasileiro estava entre os dez finalistas.

Por VEJA
Por Maria Clara Vieira - 18 mar 2018, 14h03

A professora britânica Andria Zafirakou recebe o prêmio de melhor do mundo durante o Global Teacher Prize (Varkey Foundation/Divulgação)

Embora o conhecimento de idiomas não seja de suma importância para uma professor de artes, a britânica Andria Zafirakou, de 39 anos, sabe dizer “olá” em 35 línguas diferentes – entre elas, hindi, árabe e português. Segundo ela, o singelo cumprimento e a forma mais simples de fazer com que seus alunos, vindos de mais de uma centena de países, se sintam parte da comunidade escolar. Esta e outras açõescomo inserir aulas de música e esportes na rotina dos estudantes, mantendo-os longe do tráfico que domina seu bairro, na periferia de Londres – lhe renderam, neste fim de semana, o premio de 1 milhão de dólares, dado ao vencedor do Global Teacher Prize.

O inglês não e a língua falada nos lares da maioria dos meus estudantes. Isso fazia com quem chegassem a escola com medo de sofrerem bullying. Ouvir um bom dia em seu idioma nativo faz com que se sintam acolhidos e percebam que os professores estão dispostos a cuidar deles”, explica a professor. Formada em arte de design pena University College of London, Andria leciona em uma escola secundaria no distrito de Brent, área com a segunda maior taxa de homicídios do Reino Unido e com mais de um terço das crianças vivendo em situação de extrema pobreza. A região e marcada por uma alta taxa de imigração, com a segunda maior população de negros, asiáticos e outros grupos étnicos da Inglaterra – um censo de 2011 mostrou que, só neste bairro, são faladas quase 150 dialetos.

Andria percebeu que alguns dos seus alunos se atrasavam para a aula porque precisavam cuidar dos irmãos. Outros viviam em casas superlotadas, com dezenas de famílias, e precisavam cozinhar a própria comida em cozinhas comunitárias. A professor propôs que o colégio redesenhasse todo o currículo, de modo a dar atenção as necessidades especiais de cada turma de estudantes. Alem de aumentar o turno escolar, ela trouxe artistas, psicólogos e policiais para dentro da escola, envolvendo toda a comunidade no processo educativo. Ajudou o professor de musica a criar um coral para crianças da Somalia e inseriu atividades esportivas para meninas em horários alternativos, para que não afastar as crianças vindas de famílias conservadoras. Gracas aos esforços de Andria, a Alperton Community School esta hoje entre as 5% melhores do Reino Unido, alem de ter recebido o Premio de Qualidade de desenvolvimento Profissional do Instituto de Educação, dado a apenas dez escolas do pais.

Pelo segundo ano consecutivo, o Brasil emplacou um professor entre os dez finalistas do premio. O sul-matogrossense Diego Mahfouz Faria Lima, diretor do colégio Darcy Ribeiro, de São José do Rio Preto (SP), foi reconhecido por ter recuperado uma escola depredada, com altíssimas taxas de evasão e incidência de tráfico de drogas. A premiação e promovida pela Varkey Foundation e aconteceu neste domingo em Dubai, capital dos Emirados Árabes, ao final do Global Education and Skills – convenção internacional que reúne pesquisadores e especialistas da área da educação. O evento contou com a participação do piloto Lewis Hamilton, da atriz Charlize Theron, do ex-primeiro ministro britânico Tony Blair e o ex-presidente da Franca, Nikolas Sarkozy.


Nenhum comentário:

Postar um comentário