quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Moreira Franco diz que 'qualquer solicitação' a vice da Caixa ocorreu no 'âmbito funcional'

Investigação independente apontou que vice-presidente do banco pode ter atendido a pedido de informações do ministro e de Michel Temer sobre operações internas.

Por Laís Lis, G1, Brasília
17/01/2018 10h37min

Moreira Franco diz que tinha relação funcional com vice-presidente da Caixa

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, afirmou nesta quarta-feira (17) que "qualquer solicitação" a Derziê Sant'Anna, vice-presidente afastado da Caixa, ocorreu no "âmbito funcional".

Uma investigação independente, divulgada na terça-feira (16), apontou indícios de que Derziê teria fornecido informações sobre operações do banco ao presidente Michel Temer e a Moreira Franco, ou atendido a pedidos dos dois.

"O que eu vi nos jornais é que eu teria feito uma solicitação ao vice-presidente Derziê. Eu sempre tive com o vice-presidente Derziê uma relação de natureza funcional. Qualquer solicitação, pergunta, indagação sempe estiveram no âmbito funcional", afirmou o ministro após participar de de uma visita às obras de uma estação de tratamento de água na cidade de Valparaíso (GO).

O ministro disse ainda que em toda sua vida pública nunca teve nenhuma atitude que pudesse gerar "envergonhamento".

A apuração interna na Caixa foi conduzida pelo escritório Pinheiro Neto e foi remetida ao Comitê Independente do banco. O documento também foi enviado ao Ministério Público Federal (MPF).

Nesta terça (16), atendendo a recomendação do MPF, o presidente Michel Temer determinou o afastamento de quatro dos 12 vice-presidentes da Caixa. Os afastados, entre eles Derziê, são investigados pelo MPF e pela Polícia Federal.

Segundo Moreira Franco, a decisão de Temer foi "acertada". Ele disse que os executivos poderão se defender ao mesmo tempo em que o ambiente dentro da Caixa fosse "afastado" de suspeitas.

“Foi uma decisão acertada, na medida que teve informações com relação à atuação de quatro vice-presidentes. O presidente determinou que fosse dado amplo direito de defesa, mas [que fossem] afastados dos cargos para que o ambiente na instituição permanecesse afastado de todas essas suspeitas que foram levantadas com relação a atuação [dos vices]”, disse o ministro.

Questionado se as denúncias na Caixa poderiam atrapalhar a votação da reforma da Previdência, Moreira Franco respondeu que "espera que não". "Não existe nada mais importante no Brasil de hoje do que nós aprovarmos a Previdência”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário