quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Rodovias estaduais de PE têm 94,1% da extensão consideradas regulares, ruins ou péssimas, diz CNT

No aspecto geral, em que estão incluídas as rodovias federais no estado, 56,1% do total da extensão é classificado da mesma forma. Pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes foi divulgada nesta terça (7).

Por G1 PE
Ônibus circula por trecho repleto de buracos na PE-15, em Olinda (Foto: Maurício Melo/TV Globo)

As rodovias estaduais de Pernambuco têm deixado a desejar no quesito qualidade. De acordo com uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) nesta terça-feira (7), 94,1% das rodovias sob jurisdição do estado foram classificadas como regulares, ruins ou péssimas, em comparação com a extensão federal. O percentual representa 950 dos 1.009 quilômetros de extensão sob jurisdição estadual.

Para a realização do levantamento, feito nacionalmente, foram levados em consideração aspectos como sinalização, pavimento e geometria das rodovias. No que diz respeito à sinalização, as rodovias estaduais de Pernambuco têm 95,1% da extensão classificadas como regulares, ruins ou péssimas.

Veja a classificação das rodovias estaduais em PE em 2017
Pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes leva em conta sinalização, pavimento e geometria das vias
Péssimo: 45,5 %Ruim: 35,6 %Regular: 13 %Bom: 2,7 %Ótimo: 3,2 %

Ruim
Classificação 35,6 %
Fonte: CNT
Quanto ao pavimento, a pesquisa registra que 54,6% da extensão de rodovias estaduais são regulares, enquanto 30,9% são ruins e 3,9% são péssimas. As rodovias estaduais de Pernambuco também têm 65,1% da sinalização consideradas péssimas, 17,4% classificadas como ruins e outros 12,6% tidas como regulares.

“Péssimo” é o adjetivo adotado para qualificar 59,6% da extensão no que diz respeito à geometria das rodovias estaduais de Pernambuco, critério que leva em consideração a condição de curvas, pontes, viadutos e do acostamento das rodovias. Outros 20,9% das rodovias estaduais receberam a classificação ‘ruim’, enquanto 12,1% da extensão foram tidas como regulares nesse segmento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário