PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Operação da Polícia Federal apreende 890Kg de maconha no Sertão de PE

Além da droga apreendida, a "Operação Baraúna-III" resultou na erradicação de 634 mil pés de maconha, 152 plantios e 141 mil mudas da planta.

Por G1 Petrolina

04/09/2017 08h08

 634 mil pés de maconha foram destruídos durante a Operação Baraúna-III (Foto: Polícia Federal)

Polícia Federal (PF) divulgou nesta segunda-feira (4) os resultados da “Operação Baraúna-III”, realizada entre os dias 22 e 31 de agosto, no Sertão de Pernambuco, com o objetivo de identificar e erradicar plantios de maconha na região. De acordo com a PF, neste período, foram destruídos 634 mil pés da droga, 152 plantios e 141 mil mudas da planta. Além disso, foram apreendidos 890Kg de maconha pronta para o consumo. Apesar dos números, ninguém foi preso.


Os policiais contaram com três helicópteros e botes infláveis (Foto: Polícia Federal)

Os plantios foram localizados através de levantamentos feitos pela Polícia Federal e a apreensão foi realizada em ilhas dos Rio São Francisco nos municípios de Orocó, Cabrobó e Belém do São Francisco. Segundo a PF, caso os 634 mil pés da droga fossem colhidos e prensados, daria para fazer 210 toneladas de maconha.

A PF informou que a “Operação Baraúna-III” contou com a participação de 100 policias, entre federais e militares, além do Corpo de Bombeiros. Os policias trabalharam com incursões terrestres, aéreas e fluviais e contaram com o apoio de três aeronaves e botes infláveis.

Segundo a Polícia Federal, o ciclo produtivo da maconha é acompanhado de perto e, quando se aproxima o período da colheita, novas ações são realizadas coibindo a secagem e a consequente introdução no mercado consumidor.

Nas três operações realizadas neste ano, foram erradicados 1,6 milhão de pés de maconha; 454 plantios e 422 mil mudas foram destruídas. A quantidade de maconha pronta para o consumo apreendida é de 3.620 kg. O total de pés erradicados e maconha apreendida, segundo a PF, supera os anos de 2015 e 2016.


Nenhum comentário:

Postar um comentário