domingo, 16 de julho de 2017

De almoço em almoço, Temer vai fugindo da Justiça

Ontem (15), Michel Temer recebeu diversos apoiadores para almoçar, dentre eles, o deputado tucano Paulo Abi-Ackel, autor do relatório a favor de Temer.

De almoço em almoço, Temer vai fugindo da Justiça Wolfgang Rattay/ Reuters

Sábado foi mais um dia de manobras para Michel Temer. Ele recebeu para um almoço os ministros da Educação, Mendonça Filho, do Democratas, e o da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, do PSDB. E a pedido do próprio Temer, foi chamado o também deputado tucano Paulo Abi-Ackel. Foi dele o relatório a favor de Temer que foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Abi-Ackel (PSDB-MG) foi o apoiador de Michel Temer na comissão que recebeu o maior valor em emendas parlamentares: 5,1 milhões de reais. Em seu relatório, Abi-Ackel escreveu que “peca a denúncia por omissão. Não há nela demonstração alguma do vínculo pessoal do presidente da República com a oferta e o recebimento de valores consumados entre Joesley Batista e Rodrigo Rocha Loures, e qualquer afirmativa em contrário, na ausência de elementos de convicção, situam-se no universo das suposições”.

No almoço deste sábado, Temer repetiu o discurso de jogar para o colo da oposição a responsabilidade de colocar pelo menos 342 deputados em plenário para que a denúncia possa ser votada.

Auxiliares diretos do presidente dizem que Temer está seguro de que a Câmara não vai autorizar que o Supremo Tribunal Federal abra a ação penal contra ele. E a expressão que usaram para falar da expectativa do presidente sobre a votação ocorrer logo na volta do recesso é que Temer não está ansioso para que seja exatamente no dia 2 de agosto.

Com informações de agências.

Fonte: NP


Nenhum comentário:

Postar um comentário