domingo, 7 de maio de 2017

Estatísticas da violência em Paulo Afonso: ‘99% dos crimes envolvendo jovens estão ligados às drogas’

A delegada regional de Paulo Afonso, Dra. Mirela Matos, em palestra para um evento da Secretaria de Educação, na manhã do dia (5), no Memorial Chesf revelou estatísticas dos últimos três anos da Polícia Civil envolvendo jovens no município de Paulo Afonso. 

📷 Delegada Regional Mirela Matos.

O tráfico de drogas é o crime que mais cresceu de 2014 até as preliminares de 2017, da totalidade das mortes, aproximadamente 30% abateram jovens entre 18 e 25 anos, sendo que a cada dez mortos um é menor. 

📷 Prof. Silva (secretário de educação) e Dra. Juliana (Delegada da DEAM), Dia Municipal da Paz.



“99% da motivação desses homicídios é o tráfico de drogas ligados à dependência química, o que gera um ciclo de violência que não atinge só os usuários, então se hoje seu filho tem um celular roubado é por alguém que quer comprar a droga, e assim é com casas arrombadas etc., eu não imagino o tanto de dinheiro que os traficantes movimentam”, explicou a delegada.   Não apenas a polícia, mas a população em geral é unânime em afirmar que há droga à vontade em circulação, a gente ver na esquina, aumentou a quantidade e o preço por elas é mais baixo.




Mirela ainda apontou uma das grandes dificuldades enfrentadas tanto pelas famílias como pelos infratores, que é a ressocialização dos jovens quando estes cumprem o período de exclusão:   “Existem as medidas socioeducativas em que eles prestam serviços às comunidades (…) as famílias não conseguem mantê-los, não conseguem fazer com que eles cumpram o serviço, e uma das dificuldades é não ter essa rede: instituições cadastradas que recebam esses jovens e lhes dê uma reeducação, existe muita resistência das instituições recebe-los.”   O medo da sociedade é pior, conclui Mirela   A fala da delegada está no contexto da Semana da Paz, comemorado sexta-feira, 05 de maio, em que o secretário de Educação do município, Prof. Silva apresentou uma rede de proteção para crianças e adolescentes (trataremos especificamente em outro texto) envolvendo diversas instituições pauloafonsinas.   “O jovem infrator precisa ter presença na escola, precisa ser reeducado, não é uma coisa simples, mas nós precisamos enfrentar”.  


Por Ivone LimaPA4.com.br | 5 de maio de 2017 às 16:07

Nenhum comentário:

Postar um comentário