PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Temer diz ter pressa na divulgação das delações da Odebrecht

'Quem for atingido pelas delações que se explique e que se defenda. Depois avaliaremos o que fazer. Quanto a mim, minha preocupação com isso é igual a zero', afirma o presidente

FOTO REPRODUÇÃO

O presidente Michel Temer afirma que "seria melhor para todos que as delações fossem logo divulgadas, e de uma vez". O peemedebista se refere ao sigilo mantido pelo novo relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin, em torno das delações dos 77 executivos da construtora Odebrecht.

"Imagine o que poderia acontecer se as delações demorassem a ser divulgadas. Ou se fossem divulgadas aos poucos, uma por semana, digamos. Seria muito ruim para o país e, é claro, para o governo", acredita o presidente.

Quando questionado sobre os estragos que as delações podem causar na imagem do seu governo, Temer diz que vai avaliar caso a caso, mas quanto a ele, está despreocupado. "Quem for atingido pelas delações que se explique e que se defenda. Depois avaliaremos o que fazer. Quanto a mim, minha preocupação com isso é igual a zero", garante o presidente em entrevista ao O Globo.

Contudo, na delação do ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, Temer foi citado 43 vezes. Ele pediu R$ 10 milhões a Marcelo Odebrecht, então presidente da empresa, para a campanha eleitoral do PMDB de 2014. Como presidente do partido, uma de suas tarefas era arrecadar recursos para as campanhas.

"Não foram R$ 10 milhões. Marcelo doou pouco mais de R$ 11 milhões. O dinheiro foi depositado na conta do PMDB e pagou despesas de vários candidatos pelo país. Há comprovantes de tudo", explicou Temer.

Quem se limita a ler apenas os títulos das matérias publicadas a respeito pode ficar com a impressão de que fui citado por envolvimento em 43 negócios. Mas não. Fui citado 43 vezes porque está escrito ali: Aí Temer me convidou para conversar. Aí Temer me recebeu na sala. Aí Temer perguntou se eu aceitaria um café... Para contar uma única história, meu nome foi mencionado 43 vezes."

Nenhum comentário:

Postar um comentário