quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Representantes de policiais e bombeiros militares enviam contraproposta salarial à Alepe

Associação de Cabos e Soldados de PE rejeitou reajuste proposto pelo governo estadual. Valores apresentados pelos profissionais são os mesmos reivindicados em dezembro, 
antes de adotarem a operação padrão.

Contraproposta salarial da categoria foi a mesma apresentada no dia 6 de dezembro,
 após passeata realizada pelos PMs e bombeiros (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

A Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE) protocolou, nesta quarta-feira (8), uma contraproposta para o reajuste salarial dos profissionais da Polícia Militar e dos Bombeiros. O documento, recebido na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) através do deputado estadual Romário Dias, contém uma tabela de salários proposta em dezembro, antes de a categoria dar início à operação padrão.

“A proposta é a mesma que nós apresentamos no dia 6 de dezembro do ano passado, aprovada em assembleia pela categoria. Nós não vamos recuar um só milímetro, porque precisamos de valorização profissional”, comenta o presidente da ACS-PE, Albérisson Carlos.

No documento, a categoria projeta, para o mês de julho de 2018, o salário de R$ 6.108,37 para o posto de soldado. Para o cargo de coronel, a projeção salarial para o mesmo mês é de R$ 26.169,00. Na proposta encaminhada pelo governo, que chegou à Alepe na segunda (6), as propostas de salários para os dois cargos são de R$ 4.104,88 e R$ 23.238,00, respectivamente. Os valores seriam corrigidos em dezembro de 2018, de acordo com a proposta da administração estadual.

Além do aumento salarial, a categoria também pede promoções automáticas para cabos, sargentos e subtenentes de acordo com o tempo efetivo de serviço. Para cabos, a promoção seria após cinco anos de serviços. Para terceiros, segundos e primeiros sargentos, as promoções seriam automaticamente ofertadas após dez, 13 e 16 anos de serviço, respectivamente. Os subtenentes, por fim, seriam promovidos depois de 20 anos de efetivo serviço.

Entenda o caso

A proposta do governo apresentada na sexta (3) à Alepe, após negociações entre os comandos da Polícia Militar e dos Bombeiros, contém reajustes que variam de 25% a 40% e que serão oferecidos a partir de maio deste ano, e nos meses de abril e dezembro de 2018. De acordo com os comandantes, os percentuais foram discutidos com a categoria após as reivindicações dos profissionais, que trabalham em operação padrão desde o mês de dezembro de 2016.

A categoria chegou, inclusive, a fazer passeatas pelo Centro do Recife para reivindicar o reajuste salarial e a melhoria nas condições de trabalho. Familiares dos policiais e bombeiros militares também foram às ruas pelas mesmas causas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário