terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Ópera 'Fosca', de Carlos Gomes, estreia no Theatro Municipal de SP

Montagem cuja encenação começa nesta quarta (7) foi 
concebida pelo diretor italiano Stephano Poda

Heloisa Ballarini / Secom


Antônio Carlos Gomes, Nhô Tonico como era chamado, recebeu uma bolsa do imperador Pedro II para estudar em Milão. E numa época em que a Europa se deslumbrava com o exotismo do mundo, fez um tonitroante sucesso com a ópera Il Guarany, baseada no romance homônimo de José Alencar e libreto de Antônio Scalvini.

Estreada no Scala de Milão em 19 de março de 1870, a saga do índio Peri e da portuguesa Ceci não satisfez o exigente gosto musical do próprio compositor. De tal sorte que ele se lançou logo na composição de sua quarta ópera, Fosca, baseada no livro La Festa della Marie, de Luigi Capranica, libreto de Antonio Ghislanzoni.

Nada de selvas, índios, exotismo, a nova ópera de Nhô Tonico tratava de piratas da ilha de Istria no século X e um terrível triângulo amoroso. Ghislanzoni havia escrito o libreto de Aída para Giuseppe Verdi. Ajudara o mestre na revisão de La Forza del Destino e Don Carlos. Era fraterno amigo de Arrigo Boito.

Com Fosca, Carlos Gomes conquistou o coração de Milão. Ela teve 15 apresentações seguidas no Scala. Depois fez sucesso em Veneza e em Nápoles. Trata-se mesmo de uma ópera maiúscula onde o compositor brasileiro exige brutalmente da meio soprano, que interpreta o papel título, do tenor que interpreta Paolo, um capitão veneziano pivô do triângulo e da soprano que interpreta Délia, uma órfã veneziana. O campineiro caprichou mesmo. A abertura está entre as suas mais elaboradas e os coros são imponentes.

O Theatro Municipal de São Paulo encerra a temporada deste ano com a montagem de Fosca, concebida pelo genial diretor italiano Stephano Poda, que assina também a cenografia, os figurinos, o desenho de luz e a coreografia.

No papel de Fosca, a soprano alemã Nadja Michael e a italiana Chiara Taigi; o tenor brasileiro Thiago Arancam e o coreano Sung Kyu Park vivem Paolo; os barítonos Marco Vratogna (italiano) e o brasileiro Leonardo Neiva emprestam vida ao escravo veneziano Cambro. A Orquestra Sinfônica Municipal e o Coro Lírico Municipal serão regidos pelos jovens e competentes regentes brasileiros Eduardo Strausser e Bruno Greco Facio. A montagem conta ainda com o Balé da Cidade de São Paulo.

Trata-se de uma oportunidade única para se descobrir que Antônio Carlos Gomes não é apenas um rosto no teto do Theatro Municipal ou uma estátua na praça Ramos de Azevedo. As informações são do portal da Prefeitura de São Paulo.

FOSCA – Theatro Municipal de São Paulo

Dias 7, 8, 10, 13, 15 e 17 às 20 horas; dia 11, domingo, às 17 horas.

Ingressos na bilheteria do Theatro ou no site compreingressos.com/theatromunicipaldesaopaulo


Fonte: Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário