PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Morador improvisa poste de bambu para sustentar 'gato' de energia no DF


Mutirão de técnicos da CEB remove fiações clandestinas até a próxima sexta; DF tem 40 mil ligações irregulares. Alternativa 'legalizada' custa R$ 771, parcelados em até 20 vezes.


Foto Divulgação
Técnicos da Companhia Energética de Brasília (CEB) flagraram o uso de um bambu seco como poste improvisado em um "gato" de eletricidade em Planaltina, no Distrito Federal, nesta segunda-feira (12). A estrutura foi identificada durante um mutirão de fiscalização na região. A iniciativa vai remover ligações clandestinas e negociar instalações regulares com os moradores até a próxima sexta (16).
O primeiro dia de mutirão foi acompanhado pela reportagem da TV Globo, que registrou os improvisos mais inusitados (veja vídeo acima). De acordo com o gerente de medição e fiscalização da CEB, Luiz Carlos Rusky, o DF tem cerca de 40 mil ligações clandestinas.

Considerando apenas a região de Planaltina, a CEB estima que 2,5 mil unidades sejam abastecidas por energia irregular. Em áreas como Mestre D'Armas, Arapoanga e Vale do Amanhecer, que ficam na mesma região, a incidência é ainda maior. Os técnicos começaram a retirada das gambiarras e também fiscalizam as fraudes em medidores, especialmente em estabelecimentos comerciais.

A solução oferecida pela CEB aos moradores que fazem uso de fiações clandestinas é a instalação de postos de energia a R$ 771,74 – preço de custo, segundo a distribuidora. O valor pode ser dividido em até 20 vezes, e as parcelas vêm na conta de energia. A instalação fica pronta em 20 minutos.

Para moradores de baixa renda que possuem o Número de Inscrição Social (NIS), como os contemplados pelo Bolsa Família, a instalação dos “postinhos” é gratuita.

Até a próxima sexta, a agência da CEB em Planaltina funciona em horário estendido, das 8h às 17h30, para atender aos moradores da região que tenham débitos com a distribuidora ou que desejem comprar a instalação. Normalmente, o posto só abre no período da tarde.

As gambiarras de água e energia podem ser punidas como furto qualificado, com penas de até oito anos de prisão. Quando esses bens públicos são roubados, quem paga a conta é o consumidor, porque a tarifa média fica mais cara.

Riscos

As ligações clandestinas de energia são tão prejudiciais aos consumidores quanto ao sistema elétrico, sejam elas furto ou fraude de energia. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), fraude ocorre quando o consumidor altera o medidor para obter um registro de consumo menor que o real e, consequentemente, pagar menos. Já o furto é praticado por quem se liga clandestinamente à rede para consumir energia, prática também conhecida como “macaco”.

Além de prejuízos financeiros, essa prática pode colocar em risco o sistema elétrico e a vida das pessoas uma vez que as ligações clandestinas são realizadas por pessoas não habilitadas e não atendem a requisitos técnicos de segurança, podendo danificar a rede elétrica e ocasionar a ruptura dos condutores.

O furto de energia sobrecarrega os transformadores – o que pode fazer com que eles queimem –, já que parte da energia está sendo utilizada sem que alguém pague pelo uso. Equipamentos elétricos das residências também correm risco de estragar devido à queda na qualidade da energia.


VEJA O VÍDEO CLICANDO AQUI 


Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário