sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Temer pede a Putin que reconsidere prisão de pesquisador na Rússia


Conversa ocorreu durante encontro dos BRICs, em Goa, na Índia.
Ele foi preso por tráfico na Rússia ao portar chá usado em terapias e rituais.

Presidentes Michel Temer e Vladimir Putin durante o BRICs (Foto: Beto Barata/PR)

A notícia de uma conversa entre o presidente do Brasil, Michel Temer, e o chefe de Estado da Rússia, Vladimir Putin, renovou as esperanças de familiares e amigos de Eduardo Chianca Rocha, pesquisador paraibano que vive no Recife e está preso no país europeu desde 31 de agosto. Temer pediu que o governo russo reconsidere a situação de Chianca, detido em Moscou por tráfico de drogas, pois carregava em sua bagagem quatro garrafas da ayahuasca, um chá utilizado em terapias e rituais religiosos.

A conversa ocorreu durante o encontro dos BRICs, em Goa, na Índia. A informação sobre a discussão do assunto entre os dois líderes foi confirmada, nesta sexta-feira (21), por meio de e-mail enviado pela Presidência da República do Brasil.


Essa notícia era tudo que a gente esperava. O governo intercedeu em favor de um homem de bem, uma pessoa pública. Já não era sem tempo. Agora, a gente imagina que nós vamos ter sucesso”, declarou Patrícia Alves, esposa do pesquisador, ao G1 por telefone. Ela conta que a intervenção do governo brasileiro veio em momento oportuno. No último dia 10 de outubro, ela enviou à embaixada russa no Brasil uma lista de cartas e documentos diversos em defesa de Eduardo Chianca, assinados por políticos e personalidades da área de terapias holísticas.

Técnica desenvolvida por Chianca é reconhecida mundialmente  (Foto: Facebook/ Reprodução)


Entre os 15 documentos estão as cartas da presidência da Federação Brasileira de Terapeutas (Febrate) e da tribo Fulni-ó de Águas Belas, no Agreste de Pernambuco, além do ofício do deputado Giovani Cherini, que preside a Frente Parlamentar de Práticas Integrativas em Saúde do Congresso Nacional. “Essa notícia é muito importante porque os documentos já estão de posse do embaixador da Rússia no Brasil para que ele possa avaliar o caso”, espera Patrícia.



Patrícia informou que anexou ao dossiê um DVD sobre a técnica Frequências de Luz, desenvolvida pelo pesquisador, com tradução em russo. “Como ele já tinha ido à Rússia, convidado para participar de eventos, ele tem esse material em russo. Há seis anos ele vai ao país pelo menos uma vez por ano e sempre recebemos aqui estudantes e pesquisadores de lá”, contou.

A detenção ocorreu por causa da presença de dimetiltriptamina (DMT), uma substância encontrada na bebida e considerada ilegal pelas leis da nação estrangeira, mas aprovada no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Engenheiro eletrônico, Chianca abandonou uma carreira na área para se dedicar às terapias holísticas. Em 2006, desenvolveu a técnica Frequência de Luz, que trabalha os diagnósticos a partir da leitura dos chacras e seu equilíbrio. A técnica lhe rendeu reconhecimento internacional. O pesquisador estava na Europa a convite de cientistas e estudiosos. Após passar pela Rússia, ele ainda faria palestras na Ucrânia, Suíça, Holanda e Espanha, de onde retornaria para o Brasil, no dia 17 de outubro.

Estado de saúde
Um mês e meio após o ocorrido, a dificuldade de falar com Chianca na prisão se mantém. Patrícia explicou que não teve qualquer contato com ele desde o dia 31 de agosto, quando ele foi detido. “É desse jeito mesmo, a gente só pode contar com o advogado para ter contato com ele. As visitas dele, infelizmente, não são tão frequentes. Nem da embaixada do Brasil lá. A gente tem amigos russos que gostariam de visitá-lo, mas não é permitido”, revelou.

Apesar das regras rígidas, o pesquisador de 66 anos, segundo Patrícia, está saudável, se alimenta bem e não sofreu nenhuma violência física. O estresse, no entanto, teria lhe causado alguns problemas de saúde.

Ele disse que o ambiente é bom, as pessoas são corteses, ele tem um atendimento adequado, tudo bem dentro do possível. mas ele teve por duas vezes alteração na pressão [arterial] lá. É uma situação muito complicada do ponto de vista de saúde. Mas a gente tem notícia de que está tudo dentro da conformidade”, destacou.

fONTE: Cláudia Ferreira e Thays Estarque (do G1 PE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário