sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Premiê japonês expressa a Fidel preocupação sobre Coreia do Norte

Em Havana, Shinzo Abe discute com líder cubano os últimos testes de mísseis de Pyongyang, com quem Cuba mantém relações.

Em Havana, Shinzo Abe discute com líder cubano os últimos testes de mísseis de Pyongyang, com quem Cuba mantém relações (Foto: Alex Castro/Cubadebate/Reuters)
Em Havana, Shinzo Abe discute com líder cubano os últimos testes de mísseis de Pyongyang, com quem Cuba mantém relações (Foto: Alex Castro/Cubadebate/Reuters)


O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, esteve em Havana, nesta quinta-feira (22), na primeira visita de um chefe de governo do Japão a Cuba. Abe se encontrou com Fidel Castro, procurando apoio contra as ambições nucleares da Coreia do Norte, que mantém relações com a ilha caribenha.

"O primeiro-ministro salientou a necessidade que a comunidade internacional tem de responder a isso rigorosamente unida", afirmou o porta-voz do Ministério do Exterior do Japão Yasuhisa Kawamura, após o encontro de 70 minutos entre Abe e Fidel.

No início do mês, a Coreia do Norte realizou seu quinto e maior teste nuclear e anunciou ter capacidade de montar uma ogiva em um míssil balístico. Nunca foi possível verificar de maneira independente as afirmações de Pyongyang, que classifica Coreia do Sul e EUA como seus maiores inimigos.

Um comunicado oficial divulgado na TV afirmou que os dois líderes "discutiram a complexidade e os perigos que afetam o mundo e a necessidade de aumentar os esforços com vista à eliminação das armas nucleares e a manutenção da paz."
Fidel, que visitou Hiroshima em 2003, disse a Abe que os problemas com Pyongyang precisam ser resolvidos pacificamente, através do diálogo.

Impulso comercial

Abe também conversou com o presidente cubano, Raúl Castro, sobre relações econômicas e comerciais. Falando para o jornal do Partido Comunista Cubano, Granma, o premiê japonês declarou que espera expandir o comércio, após a decisão de Cuba de tornar a sua economia mais favorável aos negócios.
"Eu espero, sinceramente, que a minha estada aqui se torne uma oportunidade para abrir um novo capítulo na relação de amizade entre as duas nações", afirmou o premiê. "Acredito firmemente que as companhias japonesas podem, como parceiros confiáveis, prestar uma contribuição notável para Cuba, que está atualizando seu modelo sócio-econômico", acrescentou.

Diversos líderes ocidentais visitaram recentemente Cuba, desde que o país deu início à normalização de laços com os EUA, dois anos atrás. O presidente americano, Barack Obama, visitou a ilha em março, após quase seis décadas de gelo diplomático com o regime castrista.

Depois de Abe, o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, está sendo esperado nos próximos dias em Cuba. A viagem já foi confirmada, embora ainda não haja uma data certa.

fONTE: G1
Da Deutsche Welle

Nenhum comentário:

Postar um comentário