sexta-feira, 12 de agosto de 2016

DEPOIS DE 22 ANOS FUGINDO, ASSASSINO FOI PRESO, E DIZ ESTÁ ARREPENDIDO


a Notícia

Assassino é preso após fugir da polícia durante 22 anos: 'Arrependido'

Gilberto Scarzo planejou homicídio em 1994 e se escondia desde então.
Crime ocorreu em Capivari e condenado foi preso em Itanhaém na quarta.

Gilberto fugiu das autoridades por mais de 20 anos e diz estar arrependido de crime em SP (Foto: G1)

Um homem de 63 anos foi preso na tarde da última quarta-feira (10) em Itanhaém, no litoral de São Paulo, após fugir das autoridades por mais de 20 anos por ser responsável por um assassinato. O crime ocorreu no município de Capivari, no interior paulista, e o homem foi condenado a mais de 20 anos de cadeia pelo homicídio.

Entenda o caso

Para ver a matéria completa Click a baixo 


De acordo com informações da Polícia Civil, Gilberto Scarzo foi o mandante de um assassinato em Capivari, no interior de São Paulo, em 1994. Ele planejou a morte de um homem para o qual devia dinheiro com a ajuda de dois comparsas.
Na época, dois homens contratados por Scarzo simularam um assalto e sequestraram a vítima. Eles foram presos pouco após terem executado o homem com mais de 15 tiros. Na delegacia, eles confessaram a autoria do crime e confirmaram que Scarzo havia encomendado o homicídio.

Ao saber da prisão de seus comparsas, Gilberto fugiu da cidade e conseguiu passar 22 anos sem ser localizado pelas autoridades. O acusado foi encontrado nesta quarta-feira após informações terem sido repassadas à Polícia Civil de que ele poderia estar morando em Itanhaém.


Condenado será levado ao CDP de Praia Grande (Foto: Reprodução/TV Tribuna)


O delegado Jaime Marcelo da Fonte Nogueira, do 3° Distrito Policial de Itanhaém, afirma que os policiais começaram a realizar investigações e descobriram que havia um automóvel no município registrado sob o nome do filho do condenado, Gilberto Scarzo Filho, e que o carro seria usado por funcionários de uma empresa da cidade.
Após realizar diligências em frente ao local, os policiais encontraram o carro e resolveram seguir o motorista. Ao notar que ele havia estacionado, os agentes abordaram o condutor e descobriram que se tratava de Gilberto.

Mesmo estando mais velho, os policiais conseguiram reconhecê-lo por meio de uma foto da época do assassinato em Capivari. Durante um interrogatório, Gilberto, que estava usando documentos falsos com o nome de João Firmino Dario, confessou o crime. “Ele disse que comprou os documentos falsos em São Paulo, na Praça da Sé, há uns 10 anos. Com a papelada falsificada e nome alterado, ele conseguiu abrir conta em banco, abriu uma empresa e até mesmo tirou uma carteira de motorista”, afirma o delegado Jaime.

Apesar de ter conseguido fugir por mais de 20 anos, o caso foi a julgamento e Gilberto foi condenado por dois crimes. “Em 2014 ele foi condenado a 23 anos pelo homicídio e também a 8 anos 3 meses pelo roubo que ocorreu durante o crime em Capivari. Ele disse que está arrependido, mas fugiu porque não queria ir para a cadeia”.
Gilberto está preso na Cadeia Pública de Peruíbe, mas deverá ser encaminhado nos próximos dias até o Centro de Detenção Provisória de Praia Grande. A ocorrência foi registrada no 3° Distrito Policial de Itanhaém.

Fonte: LDo G1 Santos
G Rodrigues e Luna Oliva

Nenhum comentário:

Postar um comentário