PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Expectativa para Assembleia Geral da ONU é de momentos de divergência

Reunião começa na segunda-feira em Nova York

Foto: Divulgação 

Às vésperas da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA), cuja abertura está prevista para a próxima segunda-feira (24), a expectativa é de que haverá momentos de divergências. Em debate, a crise dos imigrantes, ameaças à democracia, riscos de conflitos bélicos, além de questões relativas à igualdade de gênero e ao assédio sexual.

O encontro deve reunir presidentes e primeiros-ministros de 128 países, incluindo o anfitrião, o presidente norte-americano, Donald Trump, e o brasileiro, Michel Temer. Por tradição desde 1947, o Brasil faz o discurso de abertura da sessão. Temer também vai participar de reuniões paralelas tanto bilaterais como multilaterais.

Entre as lideranças nas Américas, devem predominar as discussões sobre a crise na Nicarágua e o êxodo venezuelano, além das negociações entre Mercosul e União Europeia, assim como a crise econômica que a Argentina atravessa em meio às negociações com o Fundo Monetário Internacional, à elevada taxa de juros, à queda do valor do peso e aos altos níveis de desemprego.

Do lado norte-americano, Trump pretende defender a adoção de sanções ao Irã e à Coreia do Norte em nome da preservação da paz e contra as ameaças de guerras. No ano passado, ao discursar, ele mandou recados aos adversários políticos mundiais, incluindo os líderes iraniano, norte-coreano e venezuelano.

Ameaças

Para o secretário-geral da ONU, o português António Guterres, a entidade não pode perder o foco de seus objetivos: garantir a paz mundial e assegurar a democracia: “A reunião ocorre em um momento de crescentes ameaças contra as forças de paz”.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, alvo de críticas, indicou que não irá porque teme por sua segurança. Não há confirmação da presença do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, também pivô de uma crise em seu país.

Gênero e assédio

Guterres acrescentou que é necessário discutir as questões relativas à paridade de gênero e assédio sexual. Ele lembrou que uma equipe especializada atuará no Escritório de Serviços de Supervisão Interna, reunindo seis pessoas, das quais cinco são mulheres, que se dedicarão exclusivamente ao tema.

Primeira mulher latino-americana a presidir a Assembleia Geral da ONU, a equatoriana Maria Fernanda Espinoza também elencou a igualdade de gênero como prioridade. Ela defendeu também a importância de implementar um novo pacto global para migrantes e refugiados, defender o trabalho decente, proteger o meio ambiente, focar nos direitos das pessoas com deficiência, apoiar o processo de reforma da ONU e facilitar o diálogo.

Reuniões

Antes do debate geral, no dia 24, ocorrerão três reuniões paralelas à Assembleia Geral. No dia 22, haverá a Conferência Mundial sobre os Povos Indígenas. A preocupação com os indígenas está eentre as prioridades da ONU que observou que 30% das etnias vivem em situação de extrema pobreza e sob ameaças.

Também no dia 22 ocorrerá a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, que debaterá medidas de incentivos econômicos e sociais, visando o bem-estar social, e na véspera da assembleia, haverá a Cúpula do Clima.

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, anunciou hoje que os presidentes do Mercosul também vão aproveitar a ocasião para realizar uma reunião de cúpula em Nova York.

Por Agência Brasil 

Preço em alta da gasolina leva o consumidor a migrar para o álcool

O consumo de etanol nas bombas dos postos de combustíveis do Estado de São Paulo alcançou, pela primeira vez, neste mês de setembro a mesma proporção da gasolina. Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Paiva Gouveia, 50% das vendas foram de etanol e 50% de gasolina. Até hoje, o que se verificava era um escoamento médio de 60% de gasolina.

Marcelo Camargo/Agência Brasil/Agência Brasil

O empresário informou que essa migração já vem ocorrendo desde “a greve dos caminhoneiros, em maio último {que levou ao desabastecimento} em paralelo com as subidas constantes da gasolina”. Ele informou que o consumo mensal nas cidades paulistas atinge 180 bilhões de litros somando a gasolina, o álcool e o diesel. E sempre que o valor do litro de álcool equivale a 70% do preço da gasolina, abastecer com o derivado da cana fica mais competitivo. O litro de gasolina está custando em média R$ 4,57 em São Paulo, enquanto o de etanol vale R$ 2,74 - 59% mais barato.

Na avaliação da pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas em Energia, Fernanda Delgado , a greve dos caminhoneiros continuará ainda por algum tempo “reverberando na economia do país”. Ela, no entanto, pondera que o grande impacto sobre o preço da gasolina, que já subiu 15% desde maio último,  está associado mais à pressão das cotações no mercado internacional. O valor do barril de petróleo, passou, nesse período, de US$ 65 para US$ 75. A tendência, pontuou a pesquisadora, é de alta no mundo todo.

Delgado defende que o Brasil poderia ser menos dependente dessa política de preços internacionais caso houvesse a quebra do monopólio da Petrobras,  que detêm 98% do refino dos derivados de petróleo. A questão, porém, explica, esbarra em criar um sistema que possa atrair os investidores.

Oferta de álcool

Em relação à vantagem competitiva de se abastecer o carro com álcool, a pesquisadora da FGV Energia disse que esse quadro é favorecido pela perspectiva de uma boa oferta do etanol  no mercado. Mas ela alerta sobre a possibilidade de uma mudança no mix de produção,  caso ocorra uma sinalização de alta dos preços do açúcar no mercado internacional. Isso poderia levar as usinas a destinarem uma maior parte da safra para essa commodity.

Já o diretor técnico da Unica, entidade que congrega as usinas sucroalcooleiras da região Centro Sul, Antonio de Padua Rodrigues, descartou, nesta quinta-feira o risco de um desequilíbrio de preços do etanol em função da demanda mais aquecida. Ele informou que o setor está em plena safra e com estimativa de recorde na produção, podendo chegar a 32 bilhões de litros e um crescimento na oferta entre 4 a 5 bilhões de litros.

Pádua reconhece, contudo, que algum ajuste de preço pode até ocorrer, mas se isto se confirmar será em margem bem pequena diante da boa oferta. “Nossa expectativa é que a distribuição para os postos passe da média de 1,8 bilhões de litros para 2 bilhões de litros”, afirmou, referindo-se ao próximo anúncio da Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Fazendo uma análise sobre a vantagem competitiva do álcool sobre a gasolina, Pádua observou que enquanto o derivado da cana vem se mantendo com preço estável pela boa safra que deve crescer em torno de 15%, a gasolina está sujeita às variações impostas  tanto pelos fatores externos quanto pela pressão cambial. Nos últimos dias, a moeda norte-americana tem oscilado acima dos R$ 4,00 e fechou nesta quinta-feira em R$ 4,07 um recuo de 1,27% sobre a cotação de ontem (19).

No último dia 5 de setembro, o preço da gasolina nas refinarias havia alcançado R$ 2,2069, no maior valor desde junho do ano passado, quando a Petrobras mudou a política de preços e passou a acompanhar as oscilações do preço da commodity no mercado externo. 


Por Agência Brasil

TSE aprimora consulta sobre como verba eleitoral é gasta por candidato

Foto: Divulgação

Estatísticas consolidadas sobre a prestação de contas de candidatos e partidos políticos relativas às eleições de outubro estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para consulta de qualquer interessado.

Até a semana passada, no link “Estatísticas Eleitorais” já era possível acessar informações detalhadas sobre candidaturas e eleitorado, em abas específicas. Agora, a novidade é que na aba “Prestação de Contas” o cidadão pode obter dados consolidados a partir de um resumo geral.

Com base nessas informações, o sistema pode trazer uma busca refinada com, por exemplo, informações de Receitas/Despesas contratadas e pagas; Receitas obtidas de recursos públicos e privados, e ainda despesas pagas com recursos públicos e privados, onde é possível saber o tipo de prestador, os tipos de despesa mais frequentes, as fontes de despesas, e os maiores fornecedores.

Também é possível pesquisar recursos de comercialização de bens ou realização de eventos, doações pela internet, financiamento coletivo, de outros candidatos, de partidos políticos, de pessoas físicas, recursos próprios e rendimentos de aplicações financeiras.

Outra possibilidade é fazer a pesquisa por estado, município, partido, cargo, tipos de receita, fontes de receita e situação de candidatura, além de consultar a receita do Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral, e verificar a aplicação dos recursos em candidaturas por gênero.

Segundo a Justiça Eleitoral, a diferença das informações disponíveis nessa nova aba das estatísticas eleitorais para o Divulgacandcontas é que nela os dados estão consolidados com as informações enviadas à Justiça Eleitoral até o momento.

* Com informações do TSE

Por Agência Brasil

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

'The Economist' classifica Bolsonaro como 'a última ameaça da América Latina'

O texto compara o avanço do presidenciável e de suas propostas ao avanço do populismo de Trump nos EUA, além de criticar a "admiração preocupante" de Bolsonaro por ditaduras

Por: AE
Via: Diário de Pernambuco
20/09/2018 

Foto: Reprodução
O candidato do PSL à Presidência nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, é o destaque da capa da edição desta semana da revista britânica The Economist. No seu artigo principal, a publicação destaca o deputado como "a última ameaça para a América Latina" e considera que um eventual governo Bolsonaro seria "desastroso" para o Brasil e a região. 

O texto compara o avanço de Bolsonaro e de suas propostas ao avanço do populismo nos Estados Unidos, com Donald Trump; na Itália, com Matteo Salvini; e nas Filipinas de Rodrigo Duterte. Para a Economist, Bolsonaro soube explorar a combinação de recessão econômica, descrédito com a classe política e aumento da violência urbana com a apresentação de visões conservadoras e uma proposta de economia pró-mercado. 
"Os brasileiros não devem se enganar. Bolsonaro tem uma admiração preocupante por ditaduras", diz o texto, que o compara ao ditador chileno Augusto Pinochet. "A América Latina conheceu homens fortes de todo tipo e a maioria dessas experiências foi horrorosa. Provas recentes disso são a Venezuela e a Nicarágua."
A revista lembra ainda que o próximo governo precisará do apoio do Congresso e dificilmente Bolsonaro terá maioria parlamentar. "Para governar, Bolsonaro poderia degradar o processo político ainda mais, potencialmente abrindo caminho para algo ainda pior" diz o texto. 

"Em vez de acreditar nas promessas vãs de um político perigoso na esperança de que ele resolva todos os problemas, os brasileiros precisam perceber que a tarefa de consertar sua democracia e reformar sua economia não será rápida nem fácil."

Literatura de cordel recebe título de Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro

Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Bahia são os principais celeiros de produção e consumo da arte

Por: Viver/Diário - Diário de Pernambuco
20/09/2018

Originalmente, a expressão literatura de cordel se refere ao modo como os livros era expostos ao público, pendurados em barbantes, em uma espécie de varal. Foto: Arquivo

Gênero literário, veículo de comunicação, ofício e meio de sobrevivência para inúmeras pessoas, a literatura de cordel foi reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Conselho Consultivo, reunido no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. Apesar de ter começado no Norte e no Nordeste do país, o cordel hoje é disseminado por todo o Brasil, principalmente por causa do processo de migração de populações.

"Poetas, declamadores, editores, ilustradores, desenhistas, artistas plásticos, xilogravadores, e folheteiros, como são conhecidos os vendedores de livros, já podem comemorar, pois agora a literatura de cordel é Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro", anunciou o órgão, em reunião com as presenças do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, e do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, Gonçalo Ferreira.

O cordel foi inserido na cultura brasileira ao final do século 19. O gênero resultou da conexão entre as tradições orais e escritas presentes na formação social brasileira e carrega vínculos com as culturas africana, indígena, europeia e árabe. Tem ligação com as narrativas orais, como contos e histórias, à poesia cantada e declamada e à adaptação para a poesia dos romances em prosa trazidos pelos colonizadores portugueses.

Originalmente, a expressão literatura de cordel não se refere em um sentido estrito a um gênero literário específico, mas ao modo como os livros eram expostos ao público, pendurados em barbantes, em uma espécie de varal.

De acordo com o Iphan, os poetas brasileiros no século 19 conectaram todas essas influências e difundiram um modo particular de fazer poesia que se transformou numa das formas de expressão mais importantes do Brasil. Segundo o Ministério da Cultura, trata-se de uma expressão cultural que “revela o imaginário coletivo, a memória social e o ponto de vista dos poetas sobre acontecimentos vividos ou imaginados”. Hoje, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Bahia são os principais celeiros de produção e consumo da arte.

Em Pernambuco, a literatura é destaque em festivais. Em Caruaru, há o Museu do Cordel Olegário Fernandes e também a Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC), fundada em 2005 para valorizar os poetas do passado e incentivar futuros cordelistas.

O cordel tem uma rica poética e seus versos podem vir em quadra, sextilha, septilha, oitava, quadrão, décima, martelo, galope à beira-mar, redondilha ou carretilha. Métricas e rimas embaladas com causos de humor, reflexão e temáticas das mais variadas.

REPRESENTANTES

A literatura de cordel tem icônicos representantes do passado como o cearense Aderaldo Ferreira de Araújo, o Cego Aderaldo, os paraibanos Leandro Gomes de Barros, Apolônio Alves dos Santos e Aderaldo Ferreira de Araújo, o piauiense Firmino Teixeira do Amaral, os pernambucanos José Pacheco da Rocha, Elias Carvalho, João Ferreira de Lima, Manoel Monteiro e Severino Milanês, entre outros célebres nomes. A tradição também acompanha o tempo e se atualiza, como no trabalho do cordelista pernambucano Josué Limeira, que transforma em cordel histórias como as de O pequeno príncipe, Pokémon e Game of thrones.

A história do cordel também tem guardiões. Como no caso da pesquisadora e escritora Maria Alice Amorim. No acervo que leva o seu nome, a tradição é preservada e há um trabalho de pesquisa documental, com um conjunto de sete mil exemplares catalogados e digitalizados. O acesso ao conteúdo pode ser feito na Fundação Joaquim Nabuco, no Recife.

______________


Datafolha: Bolsonaro vai a 28% e Haddad, a 16%; empatado com Ciro tecnicamente

Bolsonaro oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, haddad subiu para 16% e assume o segundo lugar na intensão de voto. 

Por Folhapres
Via: Notícias ao Minuto 



Afastado da campanha nas ruas há duas semanas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, de acordo com uma nova pesquisa feita pelo Datafolha.

Conforme o levantamento, concluído nesta quarta (19.09), o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, mantendo a trajetória de crescimento observada desde o início da campanha.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que cresce desde sua confirmação como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida, atingiu 16% das preferências, três pontos a mais do que na semana passada.

O candidato petista continua tecnicamente empatado com Ciro Gomes (PDT), que ficou estagnado, com 13%. 

O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça (18.09) e na quarta (19.09). A margem de erro é de dois pontos percentuais, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi contratada pela Folha de S. Paulo e pela TV Globo e registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-06919/2018.

As menções espontâneas a Bolsonaro também cresceram nos últimos dias, assim como as citações a Haddad. 

Votos por Região

Bolsonaro cresceu no Sudeste, Norte e Sul, onde atingiu sua melhor marca (37%), e ganhou pontos entre jovens e até entre mulheres, apesar da grande rejeição no segmento. 

O petista cresceu no Sudeste e no Nordeste -onde alcança a melhor pontuação (26%) e única região em que está à frente de Bolsonaro.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem quase metade do tempo de TV, está estagnado na pesquisa, com 9%.

O tucano aparece empatado com Marina Silva (Rede), que agora soma 7% das preferências, menos da metade do que tinha no início da campanha.

As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais. Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão. Nos outros cenários, Bolsonaro empata com Haddad, Alckmin e Marina. 

A rejeição a Bolsonaro continua alta, e a de Haddad cresceu. Segundo a pesquisa, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão e 29% rejeitam o petista. 

Os eleitores de Bolsonaro e Haddad são os mais convictos. Apenas um de cada quatro apoiadores dos candidatos admite escolher outro nome.

No conjunto do eleitorado, 40% dizem que podem mudar o voto. Entre eles, 15% indicam Ciro como segunda opção, 13% apontam Marina, 12% optam por Haddad e Alckmin e 11% indicam Bolsonaro. Com informações da Folhapress.

_______________



PF pede prorrogação de inquérito sobre facada em Bolsonaro

Segundo a corporação, o objetivo é ir atrás de elementos probatórios que confirmem a autoria do crime por parte de Adélio Bispo de Oliveira

Por Notícias ao Minuto 

© REUTERS

A Polícia Federal solicitou nesta quinta-feira (20.09) a prorrogação do inquérito que apura o ataque contra o candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro. O pedido de postergar as investigações por mais 15 dias foi enviado à 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais, onde ocorreu o crime no início do mês.

Segundo a corporação, o objetivo é ir atrás de elementos probatórios que confirmem a autoria do crime por parte de Adélio Bispo de Oliveira, acusado de dar a facada no presidenciável. Além disso, a PF pretende descobrir as motivações do agressor e saber se houve co-participações no atentado.

Até o momento, a Justiça Federal de Minas Gerais não respondeu se a solicitação da PF foi aceita ou não.

Durante as investigações, foram ouvidas 15 testemunhas, houve três interrogatórios formais do acusado e 38 entrevistas foram feitas. Em computadores e celulares apreendidos, já foram analisados dois Terabytes de imagens. As diligências ocorreram em outras cidades mineiras, na capital Belo Horizonte e em Florianópolis.

"A PF concluiu cinco laudos periciais, outros quatro exames seguem em andamento. Além disso, foram pleiteadas e obtidas junto ao Poder Judiciário várias medidas cautelares, como quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático", informou a Polícia Federal.

Bolsonaro foi atingido por uma facada no dia 6 de setembro quando fazia campanha em Juiz de Fora. Ele está em recuperação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O quadro do político é estável. Adélio Bispo, que assumiu o crime, está preso em um presídio federal em Campo Grande. Com informações da Agência Brasil.

_____________


quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Na 'Semana do Surdo' o CEFORPROL homenageia Lúcia Barros, fundadora do centro de formação em libras




Na Semana do surdo, como não lembrar de  Lúcia Barros que foi e continua sendo uma pessoa de fundamental importância na construção do desenvolvimento desta cultura. Lúcia foi a fundadora e idealizadora do CEFORPROL (CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL LUÍZA) e o Grupo 'Mãos que Encantam' aqui em Petrolândia. Mesmo depois da sua partida a sua sócia Iza Lira continua com projeto. Qualificando pessoas para o mercado de trabalho. Já são mais de 800 pessoas em toda região do Pernambuco. 

São pessoas multiplicadora da semente de Lúcia Barros através do trabalho com LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), nas cidades de Petrolândia, Floresta, Belém do São Francisco, Cabrobó e Orocó.

Parabenizamos a todos alunos e colaboradores deste projeto.

Iza Lira
Ceforprol 


Informações/fotos: CEFORPROL


__________________


"Dia do Surdo" 

O dia 26 de setembro foi instituído como o dia do surdo por ser a data de inauguração do INES (Instituto Nacional de Educação de Surdo) em 1857, no Rio de Janeiro , que foi a primeira escola para surdos do Brasil. 

Click AQUI  e continue lendo 

A Prefeitura de Petrolândia-PE e o Sebrae convidam a todos para o lançamento (19.09) do Projeto: 'I Expo Sertão' (veja os detalhes)




Informações: Mabel Aquino (Diretora Municipal de Turismo)

Moro reafirma que nenhum valor da Petrobrás foi dirigido a Lula



Por Contexto Livre


O juiz da Lava Jato, Sergio Moro, voltou a afirmar que nenhum valor referente a contratos da Petrobrás foi dirigido ao ex-presidente Lula. A constatação foi novamente publicada em uma decisão recente, em que o magistrado rejeita novos argumentos da defesa de exceção de competência, ou seja, de que ele, Moro, não teria competência para julgar processos relacionados a Lula.

"Não há prova de que os recursos obtidos pela OAS com o contrato com a Petrobrás foram especificamente utilizados para pagamento ao Presidente. Mas isso não altera o fato provado naqueles autos de que a vantagem indevida foi resultado de acerto de corrupção em contratos da Petrobrás", declara Moro na nova decisão.


CLICK A BAIXO E VEJA O DOCUMENTO

terça-feira, 18 de setembro de 2018

PF ainda não descarta coautoria em ataque a Bolsonaro, diz Jungmann



Jungmann disse que o primeiro inquérito sobre
a agressão a Bolsonaro deve ser concluído esta semana  -
Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, reafirmou hoje (18) que a Polícia Federal (PF) deve concluir ainda nesta semana um primeiro inquérito sobre a agressão ao candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro. Ele disse que, até o momento, nenhuma hipótese foi descartada sobre uma eventual coautoria do crime, por isso uma nova investigação poderá ser aberta.

Bolsonaro foi esfaqueado em 6 de setembro durante um ato de campanha na rua em Juiz de Fora (MG). O agressor, identificado como Adélio Bispo de Oliveira, foi preso e encontra-se numa penitenciária de Campo Grande (MS). Em depoimentos, ele diz ter agido sozinho.

“Não se descarta qualquer tipo, qualquer hipótese”, afirmou Jungmann ao ser questionado sobre a possibilidade de coautoria no crime. “Nós, se necessário, abriremos uma segunda investigação, um segundo inquérito, para apurar todo e qualquer indício. Se qualquer possiblidade de coautoria existir, evidentemente que vamos trazer a conhecimento de toda a sociedade”, disse em seguida.

O ministro, no entanto, não entrou em detalhes das investigações, afirmando apenas que “tudo isso tem que ser investigado, recursos, dinheiro na conta". "Temos que dar uma resposta à opinião pública para que não paire nenhuma suspeita”, acrescentou.

Jungmann deu as declarações após reunião, nesta terça-feira, com a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, da qual também participou o diretor-geral da PF, Rogério Galloro.

No encontro, foi discutido o incremento na segurança dos candidatos à Presidência. No momento, mais de 20 policiais federais integram o aparato que acompanha cada presidenciável.

Foi montado também um centro de inteligência para acompanhar todos os presidenciáveis em tempo real, que deverá ser inaugurando em breve em Brasília e passará a funcionar 24 horas durante sete dias antes do primeiro turno das eleições, que ocorre em 7 de outubro.

"Bancada do crime"

Além do incremento na segurança dos candidatos à Presidência, foi discutido no encontro o combate a candidaturas que estejam ligadas ao crime organizado, num esforço para impedir que ser forme, nas palavras de Jungmann, uma “bancada do crime” no Poder Legislativo federal e estadual.

Segundo o ministro, a PF realiza um pente-fino na vida pregressa de todos os candidatos, para todos os cargos, nas eleições deste ano. O objetivo é entregar ao TSE um dossiê com qualquer indício do envolvimento do crime organizado com a eleição.

“Estamos fazendo uma triagem e levantamento prévio de todos os candidatos e estamos cruzando todos os dados, fazendo um banco de dados”, disse Jungmann. “Não podemos permitir a formação de uma bancada do crime, e se por acaso eles vierem a se eleger nós precisamos cassá-los e puni-los”, acrescentou o ministro. Ele frisou, no entanto, que a PF somente fornecerá dados de inteligência ao TSE, a quem caberá dar qualquer tipo de consequência às informações.

Fonte: Agência Brasil 
Por Felipe Pontes – Repórter
Edição: Juliana Andrade

Dólar fecha o dia (18.09) em alta, cotado a R$ 4,14

Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Agência Brasil

O dólar terminou o pregão de hoje (18.09) em alta de 0,41%, cotado a R$ 4,1422 para venda, invertendo a tendência de queda registrada ontem, quando a moeda apresentou desvalorização de 1%. O Banco Central mantém a política tradicional de swaps cambial, equivalente à venda futura da moeda norte-americana.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o dia em alta de 1,99%, com 78.313 pontos. Os papéis da Petrobras foram destaque no pregão, com alta de 4,38%, seguidas por Vale com valorização de 4,18%, enquanto Itau registrou perdas de 0,09%.

Por Agência Brasil 
Edição: Sabrina Craide

Unesco estima em 10 anos prazo para restauração do Museu Nacional

Fernando Frazão/Agência Brasil/Agência Brasil
Fonte: Agência Brasil
Por Ana Cristina Campos- Repórter
Edição: Denise Griesinger
18.09.2018

A diretora e representante da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, ressaltou hoje (18) que o trabalho de conclusão da restauração do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, será bastante longo. “Estimamos algo como cerca de 10 anos a partir do exemplo de situações, não iguais de incêndio, mas similares a essa”. Um incêndio de grandes proporções destruiu o interior do edifício e boa parte do acervo de 20 milhões de peças, no dia 2 de setembro.

“É um trabalho de muitos anos. Não existe neste momento nenhuma solução mágica que permita reconstruir o museu em alguns meses. Temos um longo trabalho de identificação dos escombros, o que são fragmentos de itens do museu”, afirmou, após entrevista coletiva ao lado da chefe da Missão de Emergência da Unesco para o Museu Nacional, a italiana Cristina Menegazzi, e do consultor do Centro Internacional de Estudos para a Conservação e Restauro de Bens Culturais, José Luiz Pedersoli Junior, que integra a missão.

“A questão da reconstrução do prédio histórico em si também demanda tempo de identificação dos metais, dos materiais arquitetônicos, das pinturas murais. Acreditamos que é um trabalho que será gradativo, e que, em várias etapas, se poderá ir gradualmente abrindo o museu novamente para visitação da população”, acrescentou Marlova.

A missão, que também é composta por dois especialistas de Colônia, na Alemanha, está no Brasil desde o último dia 13 onde ficará por dez dias. A Unesco está trabalhando em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro, o Instituto Brasileiro de Museus e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A partir das visitas técnicas ao museu, Pedersoli Junior informou que as ações emergenciais concentram-se em garantir a estabilidade estrutural do prédio para evitar o colapso e o resgate tanto da coleção quanto dos elementos arquitetônicos que estão entre os escombros.

“É necessário criar rotas de acesso às diferentes salas porque as coleções estavam distribuídas em três pisos para iniciar a operação de resgate. No momento, há uma rota de acesso”, disse o consultor.

A chefe da Missão de Emergência da Unesco para o Museu Nacional informou que umas das possibilidades é empregar tecnologias avançadas como a 3D para a recuperação do acervo. “É uma coleção muito variada. Alguns objetos são únicos e outros são duplicatas, há muitos objetos do mesmo tipo.O acervo poderia ser reconstituído com doações de outros museus com coleções similares às que estavam no Museu Nacional”, avaliou. “A maioria da coleção está inventariada o que é um aspecto muito importante para saber o que realmente se perdeu”, acrescentou Cristina.

A chefe da missão da Unesco, Cristina Menegazzi (de vestido), e o gestor de projetos de conservação José Luiz Perdessoli Junior (camisa azul clara), visitaram o Museu Nacional do Rio de Janeiro. - Fernando Frazão/Agência Brasil

Recursos

A diretora e representante da Unesco no Brasil informou que o trabalho de recuperação está sendo apoiado com três fontes de recursos: o Fundo de Emergência da Unesco criado em 2015, o aporte do Ministério da Educação de R$ 10 milhões para os esforços iniciais de sustentação do prédio do museu e doações de outros países. “Temos uma grande solidariedade internacional, com recursos que vêm de vários países, como, por exemplo, a Alemanha que já sinalizou 10 milhões de euros. Vários países estão sinalizando com doação de acervos e recursos”.

*Matéria alterada às 16h05 para corrigir informação. Diferentemento do que o texto informava, a Alemanha já se dispôs a doar 10 milhões de euros, e não 20 milhões de euros.

Ibope corrige pesquisa para o segundo turno ao governo de Pernambuco

Paulo Câmara manteve 41% e Armando subiu de 33% para 37%. Os dois candidatos estão tecnicamente empatados

Por: Diário de Pernambuco
18/09/2018



O Ibope informou, nesta terça-feira (18.09), que os dados da segunda rodada da pesquisa de intenções de votos para um eventual segundo turno no estado de Pernambuco estavam errados. Os índices correspondem a pesquisa divulgada no último dia 5 deste mês. 
O equívoco  referente ao candidato do PSB e atual governador Paulo Câmara foi de 14 pontos percentuais, antes 55% das intenções de voto para segundo turno, o pessebista, com a pesquisa corrigida manteve os 41%. Com a correção, Armando Monteiro subiu quatro pontos, de 33% para 37%.  Os candidatos estão tecnicamente empatados.
Os números de brancos e nulos também foram alterados. Antes apareciam com 2% e o correto seria com 19%. Os que não sabem ou não responderam eram de 7% e não de 2% como foi dito. 

Pesquisa

Neste mês, o Ibope divulgou duas pesquisas sobre os candidatos ao governo em Pernambuco. A primeira dia 5 e a segunda dia 17 de setembro. Se comparadas, o percentual de brancos e nulos caiu de 19% para 17%. Os que não sabem ou não opinaram teve queda de 7% para 6%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais.

Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz

As bandeiras são acionadas em período de escassez de chuvas, quando há redução no nível dos reservatórios nacionais

Por: Agência Brasil
Via: Diário de Pernambuco 

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, descartou nesta terça-feira (18.09) a possibilidade de revisão no valor das bandeiras tarifárias. Com variação entre verde, amarela e vermelha (em dois patamares) as bandeiras geram custos adicionais à conta de luz que vão de R$ 1 a R$ 5. Há quatro meses, está sendo cobrada a bandeira vermelha no segundo patamar, o que gera cobrança extra de R$ 5 a cada 100 kilowatts-hora consumidos.

“De forma alguma”, disse Pepitone ao responder questionamentos de jornalistas. De acordo com o diretor, não há, no momento, necessidade de mexer no valor das bandeiras.

As bandeiras são acionadas em período de escassez de chuvas, quando há redução no nível dos reservatórios nacionais. Nesses períodos há o acionamento de usinas térmicas, cujo custo de produção é mais alto.

A revisão do valor das bandeiras tem sido apontada pela Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia (Abradee) como uma saída para enfrentar problemas de caixa com a compra de energia termelétrica mais cara no mercado para compensar uma menor geração das hidrelétricas.

Pepitone disse que “a princípio a Aneel não enxerga nenhum desequilíbrio nas contas”. De acordo com o diretor-geral da Aneel, possíveis descasamentos serão resolvidos durante os procedimentos de revisão tarifária das distribuidoras de energia.

Bandeira vermelha

Ao manter a bandeira vermelha no patamar 2 no quarto mês seguido, a Aneel apontou a baixa incidência de chuvas, também chamada de risco hidrológico, ao lado do preço da energia elétrica no mercado de curto prazo (Preço de Liquidação das Diferenças), como as principais variáveis que influenciaram a manutenção da cor da bandeira tarifária.

"Como consequência o preço da energia elétrica no mercado de curto prazo (PLD) ficou próximo ao valor máximo estabelecido pela Aneesl, não se vislumbrando melhora significativa do risco hidrológico (GSF). O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada", disse a Aneel ao manter a bandeira vermelha no patamar 2, em setembro.

Por conta da estiagem e do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, os consumidores pagaram R$ 1,2 bilhão a mais nas contas de luz no primeiro semestre deste ano.

Incêndio destrói casa na zona rural de Floresta, no Sertão de Pernambuco

Um incêndio destruiu uma casa na manhã dessa segunda-feira (17.09) na zona rural de Floresta, no Sertão de Pernambuco, na Fazenda Tapuio de Baixo. No momento do ocorrido uma criança de dois meses estava no interior da casa.



A dona de casa, identificada como Maria de Fátima, estava com seus filhos maiores estendendo algumas roupas enquanto sua filha menor dormia em uma rede na residência, quando percebeu fumaça saindo da mesma correu para dentro e encontrou a criança caída no chão, uma vez que o fogo já havia consumido o punho da rede.

A bebê foi socorrida para o Hospital Coronel Álvaro Ferraz com queimaduras de primeiro grau na mão esquerda, foi examinada e teve alta no mesmo dia, tendo apenas que retornar para fazer a limpeza do ferimento.

No incêndio toda a casa, juntamente com a mobília e os bens materiais da família (documentos, roupas, calçados, etc) foram destruídas. A causa do mesmo ainda é desconhecida.

Sensibilizada com a história da família, funcionários do hospital da cidade decidiram fazer uma campanha para ajudá-la nesse momento de dificuldade. A equipe do hospital pede que quem puder faça doações de comida, roupas, material de higiene pessoal, colchão ou até móveis.
Se você puder ajudar esta família pode entrar em contato pelo telefone (87) 9 9919 1397, ou deixar sua doação no Hospital Coronel Álvaro Ferraz.
Compartilhar a matéria também é uma forma de ajuda, uma vez que aumenta o alcance da mesma e mais pessoas conhecerão a campanha e poderão fazer doações.

Fonte:  Blog do Elvis/NE10

Presos fogem da Cadeia Pública de Belém do São Francisco, PE


Uma fuga de presos foi registrada na noite desta terça-feira (18.09) na Cadeia Pública de Belém do São Francisco, no Sertão de Itaparica. De acordo com informações preliminares, dois detentos conseguiram fugir após serrar a grade de uma cela por volta das 19h durante a realização de um culto evangélico.

De acordo com informações apuradas pelo Blog do Elvis, a Polícia Militar realiza rondas na região em busca de localizar os fugitivos. Os nomes dos dois homens são: Antônio Rodrigues Pereira, vulgo “cabeludo”, e Geraldo José da Silva, vulgo “Gaun”.

Quem tiver informações pode entrar em contato com a Delegacia de Polícia Civil de Floresta: (87) 3877.4945.

Via Blog do Elvis/NE10

Pesquisa Ibope: Bolsonaro, 28%; Haddad, 19%; Ciro, 11%; Alckmin, 7%; Marina, 6%

Álvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB) têm 2% cada um; Cabo Daciolo (Patriota), 1%; Guilherme Boulos (PSOL), Vera (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.

Por G1
18/09/2018 atualizado 21h40min


O Ibope divulgou nesta terça-feira (18.09) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo (16.09) e terça-feira (18).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:
  • Jair Bolsonaro (PSL): 28%
  • Fernando Haddad (PT): 19%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
  • Marina Silva (Rede): 6%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • João Amoêdo (Novo): 2%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%


Branco/nulos: 14%
Não sabe/não respondeu: 7%


Pesquisa Ibope – 18 de setembro – evolução da intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira (11):
  • Jair Bolsonaro oscilou positivamente dois pontos, indo de 26% para 28%
  • Haddad cresceu 11 pontos percentuais, passando de 8% para 19%;
  • Ciro manteve os mesmos 11%;
  • Alckmin oscilou negativamente, indo de 9% para 7%;
  • Marina foi de 9% para 6%;


Os indecisos se mantiveram em 7% e os brancos ou nulos caíram de 19% para 14%.

Rejeição

O Instituto também perguntou: "Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?".

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram:
  • Bolsonaro: 42%
  • Haddad: 29%
  • Marina: 26%
  • Alckmin: 20%
  • Ciro: 19%
  • Meirelles: 12%
  • Cabo Daciolo: 11%
  • Eymael: 11%
  • Boulos: 10%
  • Alvaro Dias: 10%
  • Vera: 9%
  • Amoêdo: 9%
  • João Goulart Filho: 8%


Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 9%

Pesquisa Ibope – 18 de setembro – evolução da taxa de rejeição — Foto: Arte/G1

Simulações de segundo turno

Haddad 40% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 5%)

Pesquisa Ibope – 18 de setembro – simulação de 2º turno Haddad x Bolsonaro — Foto: Arte/G1


Ciro 40% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 6%)

Pesquisa Ibope – 18 de setembro – simulação de 2º turno entre Ciro e Bolsonaro — Foto: Arte/G1


Alckmin 38% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe: 6%)

Pesquisa Ibope – 18 de setembro – simulação de 2º turno entre Alckmin x Bolsonaro — Foto: Arte/G1

Bolsonaro 41% x 36% Marina (branco/nulo: 18%; não sabe: 5%)

Pesquisa Ibope – 18 de setembro – simulação de 2º turno entre Bolsonaro e Marina — Foto: Arte/G1


Sobre a pesquisa

Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Entrevistados: 2.506 eleitores em 177 municípios
Quando a pesquisa foi feita: 16 e 18 de setembro
Registro no TSE: BR-09678/2018
Nível de confiança: 95%
Contratantes da pesquisa: TV Globo e "O Estado de S.Paulo"




Segunda Turma do STF absolve Renan Calheiros da acusação de peculato em ação do caso Mônica Veloso

Senador foi acusado de peculato por suspeita de desviar dinheiro de verba indenizatória. Segundo MP, fraude ocorreu quando Renan tentou justificar recursos para pagar pensão de filha.

Sessão da Segunda Turma do STF analisou o processo que investigava o senador Renan Calheiros por peculato — Foto: Rosinei Coutinho/STF

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu nesta terça-feira (18), por unanimidade (quatro votos a zero), absolver o senador Renan Calheiros (MDB-AL) da acusação de peculato (apropriação de dinheiro público).

Três ministros entenderam que não há provas para condenação do parlamentar: Luiz Edson Fachin, Celso de Mello e Ricardo LewandowskI. O ministro Gilmar Mendes considerou que não houve crime.

A ministra Cármen Lúcia, que também integra a Segunda Turma, não participou de sessão.

Em nota divulgada após a sessão, Renan disse que o resultado o fez "acreditar na Justiça e seguir em frente" (veja íntegra da nota ao final desta reportagem).

A ação penal foi aberta a partir do caso Mônica Veloso. Em 2007, o senador foi alvo de acusações de que uma empreiteira pagava a pensão da filha que ele teve com a jornalista.

Na época, Renan respondeu processo no Conselho de Ética e renunciou à Presidência do Senado.

De acordo com denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República em 2013, ao tentar comprovar que tinha recursos para pagar a pensão da filha, Renan prestou informações falsas ao Senado.