PONTO DO BEM

PONTO DO BEM
PETROLÂNDIA-PE

COOPERTALSE - ligue (79) 99863-3435

COOPERTALSE - ligue (79) 99863-3435
CLICK NA IMAGEM E VEJA MAIS DETALHES

sexta-feira, 22 de março de 2019

Secretaria de Educação de Petrolândia - PE divulga Errata 01 de Edital do Processo Seletivo de Professores



Errata 01 do Edital 01/2019 referente ao Processo Seletivo Simplificado que visa a contratação temporária de 30 professores mais cadastro de reserva com prazo de 01 ano podendo ser prorrogado por igual período.  


Confira a Errata 01 do Edital 01/2019 clicando AQUI



Marcação de Consultas e Exames na Secretaria Municipal de Saúde- Petrolândia - PE, de 25 a 29 de março de 2019



LOCAL DE MARCAÇÃO

Secretaria Municipal  de Saúde de Petrolândia, 
Rua Cecília Delgado, nº 87, quadra CS, no centro da cidade




Click na imagem e veja detalhes

Cantor de country morre ao atirar em si mesmo em gravação de clipe



O cantor de música country Justin Carter morreu, aos 35 anos, após disparar acidentalmente contra si mesmo durante gravação de um clipe em Houston, no Texas. O incidente aconteceu no último sábado (16/03).

A mãe do artista, Cindy McClellan, contou à "Fox News" que durante a gravação ele tirou a arma do bolso e "atirou em seu olho". A arma era usada na performance.

Carter era considerado uma estrela em ascensão no country norte-americano. Um dos empresários dele chegou a dizer que o cantor "tinha muito potencial para ser um próximo Garth Brooks", citando a maior estrela do estilo.

"Por favor, mantenha a família de Justin em suas orações e dê privacidade neste momento difícil. Justin não está mais conosco, ele foi embora. Sentiremos saudade de você, que sempre foi cheio de alegria, riso e amado por tantas pessoas em sua vida", pediu a família nas redes sociais.

Por Notícias ao Minuto
Via: Blog Petrolândia em Foco


UMA GRANDE PROVA DE AMIZADE: Cães permanecem ao lado de motorista após acidente e são resgatados

Três cãezinhos foram resgatados por policiais rodoviários após grave acidente na BR-101, na Paraíba.

Foto Reprodução 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os animais ficaram o tempo todo ao lado da motorista, que estava inconsciente após colisão.

Depois que a vítima foi socorrida, os familiares foram acionados e levaram os bichinhos para casa. O acidente aconteceu na quarta (20/03).

"O nosso maior prazer é preservar vidas, e não só humanas", escreveu em rede social a Polícia Rodoviária Federal.

Por Folhapress
Via: Blog Petrolândia em Foco



quinta-feira, 21 de março de 2019

Preso pela PF, Temer é alvo de dez inquéritos

Cinco dos inquéritos contra Temer foram abertos entre 2017 e 2018, quando ele ocupava o cargo de presidente da República

Click e veja detalhes

Preso nesta quinta-feira, 21/03, em uma investigação da Lava Jato no Rio de Janeiro, 21, o ex-presidente da República Michel Temer é alvo de mais nove inquéritos criminais em diferentes seções judiciárias no País.



Temer já havia sido denunciado três vezes pela Procuradoria-Geral da República (PGR), entre 2017 e 2018, enquanto era presidente. A Câmara não autorizou análise de dois dos casos e o terceiro nem chegou a ser discutido. Só a partir de janeiro começaram a tramitar, depois de Temer deixar o Planalto.

Dos dez inquéritos, nove estão na Justiça Federal. Desses, quatro estão em Brasília, quatro em São Paulo e um no Rio de Janeiro - aquele em que foi determinada a prisão preventiva dele e de outras sete pessoas - incluindo o aliado e ex-ministro Moreira Franco -, por decisão do juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Há também um caso encaminhado para a Justiça Eleitoral de São Paulo, para apuração sobre suposto pagamento de propina pela Odebrecht a políticos do MDB. Um dos fatos sob investigação é um suposto acerto, durante um jantar no Palácio do Jaburu - residência oficial da vice-presidência -, para repasses de R$ 10 milhões.

Cinco dos inquéritos contra Temer foram abertos entre 2017 e 2018, quando ele estava no cargo. Outros cinco foram abertos no início de 2019, a pedido da Procuradoria-Geral da República. Todos foram enviados a outras instâncias devido à perda de foro.


No pedido de prisão, a força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro aponta Temer como destinatário de R$ 1 milhão em propina da Engevix relacionada a contratos na Eletronuclear relacionados à usina nuclear de Angra 3 no Rio de Janeiro.




"Temer é líder de uma organização criminosa, que ocupou durante ao menos quase duas décadas muitos dos cargos mais importantes da República, e se valeu de tal poder político para transformar os mais diversos braços do Estado brasileiro em uma máquina de arrecadação de propinas", afirmou o Ministério Público Federal.

Relação de inquéritos em que Michel Temer é investigado:

Prisão de Temer deixa Marcela em estado de choque

Ex-primeira-dama estava em casa com o marido quando a polícia chegou

Por Notícias ao Minuto
16/03/2019

© Reuters /Adriano Machado

A ex-primeira-dama Marcela Temer está em estado de choque desde a prisão do marido, o ex-presidente Michel Temer, na manhã desta quinta-feira (21/03). Marcela estava no local da prisão, a residência da família, em São Paulo, quando a polícia chegou.

Segundo a revista "Veja", a sogra de Temer, Norma Tedeschi, que morava com o casal em Brasília, está em Paulínia, no interior de São Paulo, mas irá para a capital dar apoio à filha.


Michel Temer e Moreira Franco são presos pela Lava Jato do RJ

Mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio de Janeiro. Procurada pela G1, a defesa do ex-presidente não atendeu.

Por Arthur Guimarães, Paulo Renato Soares e Marco Antônio Martins, TV Globo e G1 Rio
21/03/2019

Momento em que o ex-presidente Michel Temer é abordado pela Polícia Federal — Foto: Reprodução/TV Globo

O ex-presidente Michel Temer foi preso em São Paulo na manhã desta quinta-feira (21/03) pela força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro. Os agentes também prenderam o ex-ministro Moreira Franco no Rio. A PF cumpre mandados contra mais seis pessoas, entre elas empresários e o coronel João Batista Lima Filho, amigo de Temer.

Preso, Temer foi levado para o Aeroporto de Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. O ex-presidente deve fazer exame de corpo de delito do IML em um local reservado e não deve ser levado à sede da PF de São Paulo, na Lapa.

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro. A prisão de Temer é preventiva.

Temer falou por telefone ao jornalista Kennedy Alencar, da CBN, no momento em que havia sido preso. O ex-presidente afirmou que a prisão "é uma barbaridade".

Desde quarta-feira (20), a PF tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.

O G1 ligou para a defesa de Temer, mas até a última atualização desta reportagem os advogados não haviam atendido a ligação.

O G1 procurou o advogado Antônio Pitombo, que faz a defesa de Moreira Franco. A reportagem ligou para o escritório de Pitombo, mas não conseguiu falar com ele.

Michel Temer e Moreira Franco em maio de 2018 — Foto: Mateus Bonomi/AGIF/via AFP

O MDB, partido do ex-presidente, divulgou uma nota. "O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa", diz o texto.

Inquéritos contra Temer

Temer é um dos alvos da Lava Jato do Rio. A prisão teve como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3.

Além deste inquérito, o ex-presidente Michel Temer responde a nove inquéritos. Cinco deles tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF), pois foram abertos à época em que o emedebista era presidente da República e foram encaminhados à primeira instância depois que ele deixou o cargo. Os outros cinco foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso em 2019, quando Temer já não tinha mais foro privilegiado. Os inquéritos foram enviados à primeira instância.

Carro deixa a casa do ex-presidente Michel Temer, em São Paulo — Foto: Gessyca Rocha/G1

Michel Temer (MDB) foi o 37º presidente da República do Brasil. Ele assumiu o cargo em 31 de agosto de 2016, após o impeachment de Dilma Rousseff, e ficou até o final do mandato, encerrado em dezembro do ano passado.

Eleito vice-presidente na chapa de Dilma duas vezes consecutivas, Temer chegou a ser o coordenador político da presidente, mas os dois se distanciaram logo no começo do segundo mandato.

Formado em direito, Temer começou a carreira pública nos anos 1960, quando assumiu cargos no governo estadual de São Paulo. Ao final da ditadura, na década de 1980, foi deputado constituinte e, alguns anos depois, foi eleito deputado federal quatro vezes seguidas. Chegou a ser presidente do PMDB por 15 anos.



PM à paisana que conteve criminoso durante massacre em Suzano diz ainda estar em alerta

Vizinho da Escola Estadual Professor Raul Brasil, o soldado Eduardo Andrade Santos, de 34 anos, entrou no local durante o massacre e interceptou os assassinos até a chegada de outros policiais.


Por Natan Lira, G1 Mogi das Cruzes e Suzano
21/03/2019

Soldado Eduardo Cardoso Andrade usou o distintivo para passar segurança aos alunos da Escola Professor Raul Brasil. — Foto: Eduardo Cardoso Andrade/Arquivo Pessoal

Uma semana após o massacre da Escola Estadual Professor Raul Brasil, o policial militar Eduardo Andrade Santos, de 34 anos, diz ainda estar em alerta. Em licença médica do cargo, o soldado é vizinho da unidade de ensino e chegou ao prédio ainda durante o atentado. Santos assumiu o risco de entrar na escola sem uniforme, podendo ser confundido com um dos assassinos pelos colegas que ainda chegariam.
"Todas as ocorrências de que eu participei até hoje tiveram um fim. Eu volto para casa e elas acabaram. Essa ocorrência nunca vai acabar", afirma.
Santos estava em casa no dia do ataque, em Suzano, porque está de licença médica desde o mês de janeiro, quando a sua arma disparou sozinha e atingiu a perna. Até poucos dias antes do massacre, ele ainda estava usando muletas.
"Eu escutei os tiros, mas não sabia de onde eles vinham. O pessoal do prédio que fica aqui perto gritava que era da escola. Entrei em casa, peguei a arma e o distintivo e corri para lá. De dentro da escola estavam saindo crianças machucadas, algumas com cortes, outras feridas a bala. Elas só me diziam que eram dois assassinos", relembra.


quarta-feira, 20 de março de 2019

PF indicia Lula e filho por lavagem de dinheiro e tráfico de influência em pagamentos para empresa de marketing esportivo

Touchdown passou a ser investigada pela Polícia Federal em 2017, com as delações da Odebrecht na Lava Jato. Segundo PF, empresa recebeu mais de R$ 10 milhões de grandes patrocinadores. Defesa de Lula diz que relatório é 'opinativo' e tem 'fragilidade jurídica'.

Por Bruno Tavares e Robinson Cerântula, TV Globo
20/03/2019 

A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o filho Luís Cláudio pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de influência por pagamentos para a empresa de marketing esportivo Touchdown.

A empresa passou a ser investigada pela Polícia Federal em 2017, com as delações da Odebrecht na Lava Jato. A investigação descobriu que, ao longo dos anos, a Touchdown recebeu mais de R$ 10 milhões de grandes patrocinadores, mas o capital social da empresa era de R$ 1 mil.

A pedido da PF, a juíza Bárbara de Lima Issepi, da 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo, determinou que a investigação seja encaminhada para uma vara especializada em crimes financeiros. O caso agora está sendo analisado pela Força Tarefa da Lava Jato em São Paulo.

Para a defesa de Lula, o relatório da PF é "opinativo, com fragilidade jurídica e distanciamento da realidade dos fatos" (veja a nota completa abaixo).

Em deleção, o ex-executivo Alexandrino Alencar disse que, em 2011, o ex-presidente Lula pediu ajuda a Emílio Odebrecht para que o filho Luís Cláudio iniciasse a carreira de empresário. Na ocasião da delação, o instituto Lula divulgou nota: "Delações são relatos unilaterais para a obtenção de benefícios judiciais. São indícios de provas, não provas. Mesmo que o relato de Alexandrino Alencar seja verdadeiro, os fatos teriam acontecido após Lula ter deixado a presidência, quando não exercia nenhum cargo público e sequer seriam atos ilegais."

“Então, ele pede isso de uma maneira digamos eu diria de um pai pedindo para outro pai muito interessante esse evento. E na mesma maneira, Lula pede para ele que se pudesse ajudar o filho dele a iniciar uma carreira empresarial”, disse Alencar em depoimento.

Alexandrino entregou à força-tarefa recibos de pagamento da Empresa Concept, contratada por ele para ajudar na criação de uma liga de futebol americano no Brasil. Alexandrino revelou que a Odebrecht pagou a maior parte do serviço, o equivalente a cerca de R$ 2 milhões e cerca de R$ 120 mil foram pagos por Luís Cláudio.

“Combinei com o Luis Claudio que nós pagaríamos 90% do custo da Concept e ele e a Touchdown pagariam 10%. Meu compromisso original com o presidente e com o Emílio era de 2 anos. Depois, ele voava sozinho. Então, ampliamos porque ele se atrapalhava e não decolava. Renovamos mais um ano. Soube depois, agora, que ele teve de desistir do projeto”, contou Alencar.

No relatório final da investigação, a Polícia Federal afirma que, apesar das expressivas quantias pagas, não houve formalização do contrato entre a empresa de Luís Cláudio e a Concept.

Segundo o inquérito, os serviços prestados pela Concept à empresa de Luís Cláudio estavam, pelo menos, 600% acima do valor de mercado. Em depoimento, o diretor da Concept disse que a consultoria realizada para a Touchdown custou entre R$ 300 e R$ 400 mil.

ATENÇÃO PROFESSORES: Secretaria de Educação de Petrolândia lança edital para contratação de professores




Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado que visa a contratação temporária de 30 professores mais cadastro de reserva com prazo de 01 ano podendo ser prorrogado por igual período, para exercer o cargo de professor da Educação Infantil, ensino Fundamental Anos Iniciais e Anos Finais (Regular e 3ª e 4ª fases da Educação Jovens e Adultos -- EJA). Confira mais informações no edital.

Edital completo AQUI 



Mulher dá à luz uma bebê grávida do irmão gêmeo, o estranho caso aconteceu na Colômbia

É difícil de acreditar, mas é verdade, e aconteceu na Colômbia. Grávida de 37 semanas, a mãe, Mônica Vega, carregava no barrigão dois fetos. Um dentro de outro.

Foto Reprodução 

Segundo reportou o sítio estrangeiro FayerWayer, a equipe médica precisou intervir para garantir o nascimento da bebê Itzamara.

A criança carregava dentro do corpo o feto do irmão gêmeo que se desenvolveu com muita dificuldade. O caso é extremamente raro.

Segundo os médicos, o caso é conhecido como “fetus in fetu” ou “gêmeo parasita”. A bebê Itzamara conseguiu ser salva, porém o irmão estava envolto por uma bolsa amniótica, ligada por um cordão umbilical e tinha desenvolvido apenas as extremidades.

Não havia nem cérebro nem coração. A esquipe médica explicou que os fetos se desenvolveram de forma não simétrica, por isso Itzamara pôde ser salva.


Fonte: Metro 
Por Rodrigo Almeida


Click na imagem e veja DETALHES 

A cada hora, uma arma de fogo mata uma criança ou adolescente no Brasil

Estudo da Sociedade Brasileira de Pediatria aponta que número anual de mortos — 9,5 mil — dobrou desde o levantamento de 1997; 94% dos casos são homicídios

Por Agência Brasil
Via: Veja

Mulher é vista com arma em loja localizada em São Paulo (SP) - 15/01/2019 (Miguel Schincariol/AFP

A cada 60 minutos, uma criança ou um adolescente morre no Brasil em decorrência de ferimentos por arma de fogo. Entre 1997 e 2016, mais de 145.000 jovens com até 19 anos morreram em consequência de disparos acidentais ou intencionais, como em casos de homicídio e suicídio. Os dados fazem parte de um levantamento divulgado nesta quarta-feira 20 pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

De acordo com o estudo, que considerou dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, em 2016, ano mais recente disponível, foram registrados 9.517 óbitos entre crianças e adolescentes no país. O número é praticamente o dobro do identificado há 20 anos — 4.846 casos em 1997 — e representa, em valores absolutos, o pico da série histórica.

O levantamento mostra que, a cada duas horas, uma criança ou adolescente dá entrada em um hospital da rede pública de saúde com ferimento por disparo de arma de fogo. Entre 1999 e 2018, foram registradas quase 96 mil internações de jovens com até 19 anos no Sistema Único de Saúde (SUS).



terça-feira, 19 de março de 2019

Brasil assina acordo que permite aos EUA lançar satélites e foguetes da base de Alcântara

Acordo de uso comercial da base foi assinado em Washington e ainda precisa ser aprovado pelo Congresso. Presidente Bolsonaro está nos EUA para se reunir com Donald Trump.

Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília
18/03/2019

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, durante assinatura do acordo que permite aos EUA lançar satélites da base de Alcântara (MA) — Foto: Alan Santos/Presidência da República

Representantes dos governos do Brasil e dos Estados Unidos assinaram nesta segunda-feira (18/03) em Washington (EUA) um acordo de salvaguardas tecnológicas (AST) para permitir o uso comercial do centro de lançamento de Alcântara, no Maranhão.

Na prática, o acordo prevê que os Estados Unidos poderão lançar satélites e foguetes da base maranhense. O território continuará sob jurisdição brasileira.

EUA usarão a base de Alcântara para lançamento de foguetes e satélites — Foto: Arquivo

O acordo foi assinado em uma cerimônia na Câmara Americana de Comércio. Do lado do Brasil, assinaram o acordo os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia). O presidente Jair Bolsonaro acompanhou a assinatura.

Bolsonaro está em visita oficial aos EUA e terá um encontro nesta terça-feira (19) com o presidente norte-americano Donald Trump.

Acordo assinado

O compromisso entre os países é um dos principais atos previstos para a viagem de Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, o conteúdo do acordo ainda não havia sido divulgado.

Para entrar em vigor, o acordo exige a aprovação do Congresso Nacional, de acordo com o embaixador do Brasil em Washington, Sérgio Amaral.

O acordo de salvaguardas tecnológicas entre Brasil e EUA é negociado desde os anos 2000, chegou a ser assinado, porém foi rejeitado pelo Congresso brasileiro. O compromisso tem cláusulas que protegem a tecnologia usada pelos dois países.

O que diz o governo

Na semana passada, Bolsonaro defendeu a assinatura do acordo ao fazer um pronunciamento em uma rede social.

Segundo o presidente, o Brasil está "perdendo dinheiro" há muito tempo por não explorar a base de forma comercial.

Mais cedo, nesta segunda, em um vídeo publicado nas redes sociais, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, também defendeu a medida.

Marcos Pontes destacou que o ato respeita a soberania do Brasil, já que a base fica no Maranhão, e que o governo brasileiro buscará firmar acordos com outros países no futuro.

"É importante ressaltar, como eu já falei ontem, que isso não fere de maneira nenhuma nossa soberania", disse.

"É um contrato importante, feito naturalmente agora com os EUA e, provavelmente, com outros países em um futuro próximo, também, que nos permita lançar outros foguetes e outras espaçonaves de outros países", acrescentou.

Pontes ainda informou pelas redes sociais que se reuniu com executivos da empresa SpaceX para tratar da possibilidade de lançamentos de satélites da companhia no Brasil.

Acordos assinados
Saiba abaixo todos os acordos assinados entre Brasil e Estados Unidos nesta segunda-feira:

  • Acordo sobre salvaguardas tecnológicas relacionadas à participação dos Estados Unidos em lançamentos a partir do centro espacial de Alcântara e seu guia operacional;
  • Ajuste complementar entre a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (Nasa) dos Estados Unidos e a Agência Espacial Brasileira (AEB) para cooperação na tarefa de pesquisa de observações de previsão de cintilação;
  • Carta de intenções entre a Agência para o Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (Usaid) e o Ministério do Meio Ambiente do Brasil.

Polícia apreende menor suspeito de ajudar a planejar massacre a escola em Suzano

Jovem de 17 anos foi apreendido em casa. Durante a investigação foram analisados os celulares dele e dos dois assassinos e, de acordo com a polícia, os três aparelhos têm conversas claras sobre o planejamento das mortes.

Por César Tralli e Kleber Tomaz, TV Globo e G1 SP
19/03/2019

Flores em homenagem às vítimas do massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano — Foto: Glauco Araújo/G1

Policiais civis apreenderam, na manhã desta terça-feira (19/03), o adolescente suspeito de ajudar a planejar o massacre que terminou com dez mortos na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. O jovem de 17 anos foi apreendido em casa e levado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade, onde foi submetido a exame de corpo de delito. De lá, seguiu para o fórum.

Na quinta-feira (14), o adolescente chegou a se apresentar à Justiça, mas negou a participação e foi liberado. Durante a investigação, porém, foram analisados os celulares dele e dos dois assassinos e, de acordo com a polícia, os três aparelhos têm conversas claras sobre o planejamento das mortes.

Nesta segunda-feira (18), a polícia apresentou ao Ministério Público um relatório com os resultados das buscas feitas na casa do menor. Além disso, a Polícia Civil apresentou à Justiça um documento com 13 tópicos que reforçam a participação do adolescente no planejamento do crime.

Entre as evidências estão depoimentos como o de uma professora que afirma que, no início do mês, durante uma dinâmica de grupo sobre expectativa de futuro, o adolescente "de forma fria, sem expressar qualquer sentimento, respondeu que seu maior sonho era entrar em uma escola, armado, e atirar em várias pessoas aleatoriamente".

Em outro depoimento, um amigo dele disse que o menor havia dito que tinha planejado o crime com um dos assassinos, mas que não sabia quando seria executado.

VILLA: VIAGEM DE BOLSONARO AOS EUA É DESASTROSA



247 - O colunista Marco Antonio Villa, que se notabilizou como uma das vozes mais agressivas da direita brasileira com seus comentários na Jovem Pan, está indignado com a postura e o entreguismo do presidente Jair Bolsonaro nos Estados Unidos. De acordo com o jornalista, a viagem é desastrosa.

Segundo Villa, a política de Bolsonaro "coloca em risco a recuperação econômica, a segurança nacional". "Esta viagem está sendo desastrosa. É um absurdo o que está sendo feito. Você se alia aos EUA e não vai receber nada. O que vamos é receber é material militar de oitava categoria, o que não nos interessa", acrescentou ele em comentário na Jovem Pan. "É necessário acabar com essa subserviência".

O jornalista também bateu duro no deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para quem os imigrantes brasileiros nos EUA de "vergonha" - declaração concedida em plena coletiva de imprensa naquele país. 

"Eduardo Bolsonaro. Você que é uma vergonha para o Brasil. Você que põe o boné do Trump. Você é uma vergonha e não o brasileiro que vai lá trabalhar", acrescentou.


Fonte: 247



Prefeitura de Petrolândia - PE divulga Resultado Preliminar do processo seletivo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania e Juventude



Divulgado o edital de resultado preliminar do processo seletivo para contratação temporária por excepcional interesse público de profissionais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania e Juventude.



Resultado AQUI 


Fonte: Site Oficial da Prefeitura Municipal de Petrolândia



segunda-feira, 18 de março de 2019

CAI APROVAÇÃO DE JAIR BOLSONARO

Índice passou de 40% a 37%


Expectativas para o mandato também diminuíram Foto: MAURO PIMENTEL / AFP 07-03-19

A avaliação de ótimo e bom do governo Bolsonaro diminuiu de 40% para 37%. O índice está dentro da margem de erro, que é de 3,2%. Já o grupo que avalia a gestão ruim ou péssima subiu de 17% para 24%. Os números são da pesquisa mensal da XP Investimentos, feita em parceria com o Instituto de pesquisas sociais, políticas e econômicas (Ipespe).

A expectativa de um mandato com gestão positiva também teve queda: de 60% para 54%. Já os que esperam uma administração ruim ou péssima subiram de 15% para 20%. A pesquisa ouviu 1.000 entrevistados, de 11 a 13 de março.

Dos entrevistados, 64% consideram necessário mudar o sistema de aposentadorias. O número é o mesmo da pesquisa do mês passado. De quatro categorias de propostas de mudanças na reforma da Previdência — idade mínima; servidores públicos; policiais, bombeiros e professores; e militares —, a que enfrenta maior resistência é a fixação de idade mínima: 51% concordam, enquanto 46% discordam do mecanismo.

A dos militares é a que tem menor resistência. Apenas 29% discordam de mudar as regras para os fardados, ao passo que 55% apoiam.

O vídeo com imagens sexuais que Bolsonaro compartilhou no Carnaval teve grande alcance e repercutiu mal: 72% tomaram conhecimento da publicação; 59% a julgaram inadequada, ante 27% que a acharam adequada.

Fonte: EPOCA
Via: Agência Brasil 




Troca de mensagens com ameaças a escola no DF suspende aulas

José Cruz/Agência Brasil

Uma troca de mensagens via Whatsapp, na qual quatro estudantes tramavam cometer atentados no Centro Educacional Gisno, escola pública no Plano Piloto, em Brasília, resultou no cancelamento das aulas matinais, prejudicando a rotina dos estudantes que cursam o ensino médio no colégio. A Polícia Civil informou que o caso será submetido à apreciação judicial e os menores poderão responder por ameaça e incitação ao crime.

As mensagens foram trocadas entre a noite de ontem (17/03) e a madrugada desta segunda-feira (18). Nelas, os estudantes – três deles de 17 anos e um com 18 – combinam “fazer uma competiçãozinha de quem mata mais” na escola. Um deles diz aceitar “fazer parte da linha de frente no massacre”, e outro detalha como o atentado deveria ser executado.

“Pelas janelas de trás (áreas de escoteiros), lançar bombas de gás lacrimogênio nas três primeiras salas, e efetuar disparos com revólver nas últimas a fim de colocar todos para correr. Depois dar a volta… eliminando todos que for possível, que estarão trancados por conta do portão”, recomenda uma das sete mensagens às quais a Agência Brasil teve acesso.

Em outra mensagem, um estudante disse já ter posicionado armas, bombas e munição em pontos estratégicos da escola.

Algumas das mensagens foram vazadas para um grupo maior de alunos e, em seguida, para a inteligência da Polícia Civil que, de imediato e com a ajuda de funcionários da escola, localizou um dos três menores, que depôs no início da madrugada de hoje.

Segundo o delegado chefe da Delegacia da Criança e do Adolecente (DCA-1), Vicente Paranahiba, foi feita uma vistoria na casa do estudante e nada foi encontrado. Ao acessarem o celular do menor, os policiais localizaram a conversa trocada com os outros três colegas, na qual o atentado estaria sendo tramado.

Agentes da Polícia Civil foram à escola fazer uma varredura - José Cruz/Agência Brasil

“Ele veio à delegacia acompanhado da irmã, que se apresentou como responsável. No depoimento, ele disse que a história não passou de uma brincadeira, e que não teria ‘coragem de fazer o que estava sendo tramado’. No entanto [durante a oitiva], ele teceu elogios ao atentado ocorrido em Suzano. Ao que parece, esses garotos foram negativamente influenciados pelo ocorrido em Suzano”, disse o delegado, referindo-se ao caso que resultou recentemente na morte de dez pessoas.

"Bolsonaro está indo mal por conta própria", diz FHC

FHC se disse preocupado com o envolvimento da família no "jogo do poder" porque "leva o sentimento demasiado longe"

Segundo ele, "Bolsonaro está indo mal por conta própria"


EX-PRESIDENTE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (FHC), EM SÃO PAULO (FOTO: NACHO DOCE/REUTERS)



De sapatênis marrom e meia verde-abacate, Fernando Henrique Cardoso recebeu O Estado de S. Paulo na segunda-feira passada, no centro de São Paulo, para falar do tema de seu mais recente livro: a juventude. 

Contou entusiasmado que tem ido caminhar na Avenida Paulista aos domingos, quando a via é fechada para os carros, e disse que tem procurado se adaptar ao modo de pensar das redes sociais, nas quais procura sempre se manter presente. "Eu tenho 87 anos. Quando nasci, a vida era diferente. E daí? Bom não é o passado, é o futuro", disse o sociólogo e presidente do Brasil por dois mandatos (1995-1998 e 1999-2002).


FHC queria deixar a política partidária de lado na conversa e se concentrar apenas no lançamento de Legado para a Juventude Brasileira, uma coautoria com a educadora Daniela de Rogatis. 

Porém, ao abordar as redes sociais, acabou analisando o uso do Twitter pelo presidente Jair Bolsonaro: "É muito difícil pensar 'tuitonicamente', você pode, no máximo, emitir um sinal". Para o ex-presidente, a democracia exige raciocínio e a rede social é operada por impulso.

Questionado diretamente sobre o comportamento de Bolsonaro e de seus filhos (Flávio, Eduardo e Carlos) nas rede sociais, FHC se disse preocupado com o envolvimento da família no "jogo do poder" porque "leva o sentimento demasiado longe" e disparou: "Eu acho perigoso. É abusivo, polariza (...) Nós estamos assistindo ao renascimento de uma família imperial de origem plebeia. É curioso isso. Geralmente, na República, as famílias não têm esse peso". Segundo ele, "Bolsonaro está indo mal por conta própria". 

Leia a entrevista:

Como surgiu a ideia deste seu mais recente livro?

A ideia foi da Daniela de Rogatis, de fazer um livro que resumisse um pouco o que eu tento passar para as novas gerações. É uma coautoria. Também foram acrescentadas aulas que eu dei, uma coisa é falar, outra é escrever.

Qual é o legado que se pode deixar para a juventude brasileira neste momento?

Procuro transmitir um sentimento de amor ao País, respeito ao povo e valorar a democracia. Fui ministro da Fazenda, conheço um pouco de economia, acho que o crescimento econômico é importante, mas a mensagem principal está nos valores e na crença de se ter organizações abertas em que todos possam participar. Tenho em minha fundação atividades com os jovens. Uma é essa, que se deve basicamente a Dani Rogatis, que tem como alvo jovens de famílias empresariais. Há um outro grupo de pessoas, estudantes de curso secundário, escolas públicas e privadas, escolas profissionalizantes. Eles me perguntam qualquer coisa e eu só não gosto de responder a questões de política partidária, não é o meu objeto fazer pregação. O curioso é que as perguntas dos dois grupos, que são diferentes quanto à renda, não são muito diferentes.

O senhor se atualiza com esses encontros?

Claro, é bom manter contato com as gerações mais jovens, participar das inquietações deles também. Eu tenho 87 anos. Quando nasci a vida era diferente. E daí? Bom não é o passado, é o futuro. Sem desprezar o que já aconteceu.

O livro expressa uma grande preocupação com a ausência de líderes de peso. Por quê?

A sociedade contemporânea, paradoxalmente, na medida em que as estruturas e os partidos deixaram de ser tão significativos, porque o contato direto é mais fácil, requer referências. Essas referências só existem quando existem pessoas que as simbolizam. Isso significa que pode estar faltando rumo, alguém para dizer para onde nós vamos. O (Nelson) Mandela na África era isso. Certa vez fui com ele a uma reunião em uma área quase florestal da África do Sul. Quando ele chegou, mesmo sem falar, ele transmitia uma emoção. O que ele estava dizendo não era tão surpreendente. Ele era surpreendente, ele transmitia, ele significa. O mundo precisa disso, de pessoas que apontem rumos mesmo sem falar. Aqui no Brasil, infelizmente, tem muita gente falando e muito pouca gente simbolizando qualquer coisa. Eu posso não estar de acordo com o Lula, mas ele simbolizou em certo momento. Eu vi, em greves, ele simbolizava, por exemplo.


E na transição de seus mandatos para o dele ambos simbolizaram alguma coisa, não?

Bastante. Eu vou publicar o último volume dos meus Diários da Presidência e você verá como trabalhamos com muito afinco para ter uma transição civilizada. Sabe por quê? Pelo meu amor à democracia. É preciso entender que na democracia mudam os ventos, mas certas regras permanecem e precisam ser valorizadas. No caso do Lula é visível. Ele vinha contra mim, contra o PSDB, mas ele ganhou a eleição. Eu digo a mesma coisa com relação ao Jair Bolsonaro. Ele ganhou a eleição e eu não torço para que ele vá mal. Ele está indo mal por conta própria.

De que maneira o senhor acha que essa comunicação via redes sociais impacta a política?

Primeiro, é difícil o Twitter. Você dizer alguma coisa naquele pouco espaço disponível não é fácil. Em geral as pessoas não dizem quase nada, apenas manifestam o que estão fazendo. Isso passou a ser o modo com que as pessoas acham que pensam. É muito difícil pensar "tuitonicamente". Você pode, no máximo, emitir um sinal. Nós estamos vivendo uma transformação de uma sociedade na qual as elites eram reflexivas para uma sociedade na qual todos são impulsivos. Isso tem efeito. É bom? É mau? Eu não quero julgar. Como a democracia vai se ajeitar com isso é a grande questão. A democracia requer reflexão, escolhas. O Twitter leva mais ao impulso do que a uma escolha racional, e democracia necessita de algo um pouco racional.

Como o senhor vê a maneira como o presidente Bolsonaro e os filhos dele, que são jovens, usam as redes sociais?

Eu acho perigoso. É abusivo, polariza. O Twitter facilita isso, o nós contra eles. Isso para a democracia não é bom. Os líderes de várias tendências não deveriam entrar nesse choque direto. Nós estamos assistindo ao renascimento de uma família imperial de origem plebeia. É curioso isso. Geralmente, na República, as famílias não têm esse peso. Quando têm, é complicado, porque a instituição política não é a instituição familiar, são coisas diferentes. Quando você tem a instituição familiar assumindo parcelas do jogo de poder, você leva o sentimento demasiado longe. O jogo de poder requer um equilíbrio estratégico, de objetivos e meios para se chegar lá. Quando a pura emoção domina é um perigo, porque você leva ao nós e eles: está do meu lado ou está contra mim?

A preocupação do senhor com a radicalização tem sido grande.

Radicalizar no sentido de ir à raiz da questão, não como oposição. O que é central para um sujeito que não seja do Centrão fisiológico? Para mim, são duas coisas basicamente, a crença na democracia e o sentimento de que é preciso maior igualdade social, isso é o miolo do que é radicalmente centro. Nesse livro, isso reaparece, porque faz parte de treinar a pensar no Brasil. Eu tenho uma preocupação com a concentração de renda e poder, me preocupa também que a diferença entre Nordeste e São Paulo seja muito grande. Você não deve deixar que uma nação se divida. A função do Estado é ter maneira de induzir o crescimento e equalizar as oportunidades. Está muito desigual o Brasil.

O senhor diria que este livro é mais pessimista ou otimista?

A despeito de tudo, é mensagem de otimismo. Eu não posso ser pessimista. Vim para São Paulo em 1940, vi esta cidade crescer e continua crescendo. Tem 18 milhões de habitantes e todos os dias de manhã tem pão, ônibus, luz elétrica. Ainda é precário? Pode até ser, mas o Brasil mudou para melhor, não foi para pior. Para a classe média alta, talvez a vida seja mais dura. Mas quem pertencia a essa classe há 50 anos? Um grupo pequeno. De vez em quando eu vou passear a pé na Avenida Paulista aos domingos, quando ela está fechada para carros. Você vê o pessoal usufruindo a cidade, não tem briga, é só você não ter medo dos outros. Estão desfrutando a vida. Isso não havia. É uma experiência interessante. É gente que mora na periferia e vem para a Paulista, para a Augusta, para o Minhocão aos domingos usufruir democraticamente da cidade.

O conceito de democracia está em risco no Brasil?

Isso me preocupa. A juventude atual é mais bem-nascida do que a anterior. Desfruta de algumas coisas como se elas fossem dadas. Não sei se isso vai gerar solidariedade. Com quem as pessoas se preocupam na Europa? Com os de fora, com os imigrantes. Aqui, não. São os de dentro que não têm. É preciso despertar nos jovens desse grupo a consciência disso, sem fazer demagogia.

Por que a juventude chegou a um momento de descrédito com os partidos e as instituições?


A forma de organização da produção e da vida na sociedade, com a ligação direta na internet, mudou as coisas. Os partidos não se adaptaram. Os candidatos, alguns, sim. As instituições ficaram aquém das pessoas no mundo todo e isso criou a ilusão de que você pode ter a democracia direta.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Via: Época